Falta de vento prejudica regatas da 470, mas Fernanda e Ana voltam a brilhar

470fem

Com apenas uma regata realizada hoje (12), a classe 470 está atrasada no cronograma e espera que o vento permita que mais regatas sejam realizadas para não prejudicar os resultados dos velejadores que precisam recuperar maus resultados como Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, do Brasil. Elas tiveram problemas no barcos e terminaram as regatas da quinta-feira na 13ª e 10ª, resultado nada comum para as velejadoras que costumam figurar no top 5 das maiores competições da classe. Mas hoje, mesmo com a raia bastante instável, as meninas voltaram a brilhar e terminaram a única regata do dia na 2ª posição. O bom resultado colocou Fernanda e Ana na 7ª colocação geral.

Henrique Haddad e Bruno Bethlem, da 470 masculina, terminaram o dia na 24ª colocação.

A classe 470 não tem regatas programadas para este sábado (13) e volta à raia no domingo.

Foto World Sailing

Scheidt confirma regularidade e assume a vice-liderança na Rio 2016

160812_RIO2016_jr_116104

Ao sabor do vento e da torcida brasileira, Robert Scheidt segue sua escalada rumo ao pódio da Rio 2016. A regularidade do bicampeão olímpico foi a marca de sua atuação nesta sexta-feira (12) na classe Laser, nas duas regatas disputadas na raia Copacabana. Com um 4º e um 5º lugares, o brasileiro subiu da quarta para a segunda posição, com 50 pontos perdidos. Ele está apenas 3 pontos atrás do líder, o croata Toni Stipanovic, e tem 2 de vantagem para o terceiro colocado, o australiano Tom Burton. Neste sábado (13) serão realizadas as duas últimas provas da fase classificatória. Os 10 melhores disputam a decisiva medal race na segunda-feira (15).

Nos três primeiros dias de regatas nas águas cariocas, Robert teve problemas nas regatas de abertura das sessões (23º, 27º e 11º lugares). Nesta sexta, parecia que a história se repetiria. O brasileiro passou pela primeira boia na 24º posição, porém, com uma recuperação digna de campeão olímpico, foi ultrapassando os adversários para cruzar a linha de chegada em 4º lugar. Na segunda disputa, Scheidt saiu em 10º e logo subiu para 4º na segunda perna, mantendo-se na briga pela ponta até finalizar em quinto.

“Tenho conseguido me manter entre os ponteiros e subir para o segundo lugar me deixa confiante para chegar bem na disputa da medal race na segunda-feira. O foco é sempre o pódio”, afirmou Scheidt.

A lituana Gintare Scheidt, esposa de Robert e uma das favoritas ao ouro na Laser Radial, somou um 13º e um 21º lugares nas regatas desta sexta-feira. Com isso, está na 8º colocação na classificação geral, com 68 pontos perdidos. A brasileira Fernanda Decnop fechou o dia na 24ª posição.

Foto World Sailing

Brasileiras da 49erFX estreiam com problemas, mas se recuperam na Rio-2016

49erfx

Um problema no barco deixou a dupla Martine Grael e Kahena Kunze no 9º lugar na regata de estreia da classe 49erFX que aconteceu hoje na raia do Aeroporto. Mas as meninas voltaram para a segunda regata com o barco em ordem, e a cabeça também, e arrebataram o primeiro lugar. Com os resultados Martine e Kahena começaram as disputas na segunda colocação geral com 10 pontos perdidos, apenas um atrás das líderes canadenses Erin Rafuse e Dannie Boyd. As francesas Sarah Steyaert e Aude Compan estão na terceira colocação. 

Na 49er, classe em que correm os homens, os brasileiros Marco Grael e Gabriel Borges terminaram as regatas do dia nos 10º e 11º lugares e estão no 11º geral. Os imbatíveis neozelandeses Peter Burling e Blair Tuke lideram a classe, seguidos pelos irlandeses Ryan Seaton e Matthew McGovern.

A classe tinha três regatas programadas, mas as condições do tempo não permitiram a realização da terceira regata do dia que deve ser compensada amanhã, se o tempo permitir.

Foto World Sailing

Bicampeão: Dorian Van Rijsselberghe ganha ouro antecipado da RS:X Masculina na Rio-2016

160811_RIO2016_jr_112964

O velejador holandês Dorian Van Rijsselberghe venceu 7 das 12 regatas realizadas na RS:X Masculina e com esse resultado fica impossível para qualquer velejador alcançá-lo na regata da medalha que acontece no domingo, dia 14.

O holandês tem apenas 29 pontos perdidos e superou o britânico Nick Dempsey que chegou aos Jogos do Rio como favorito e ganhando as duas primeiras regatas da classe que estreou na segunda-feira, dia 8.

Nick Dempsey tem 52 pontos perdidos e mesmo que vença a regata da medalha, que vale o dobro de pontos, e Dorian chegue na última colocação não há como alcançar o holandês.

Dorian Van Rijsselberghe tem 27 anos e acaba de se tornar bicampeão olímpico da classe.

Foto World Sailing

Velozes 49er e 49erFX estreiam na Rio-2016 com irmãos Grael nas tripulações

160807_Rio2016_pm_13140

Martine Grael e Marco Grael é a nova geração da família mais tradicional e campeã da vela brasileira. Os irmãos são filhos de Torben, dono de 5 medalhas olímpicas e atual coordenador técnico da Equipe Brasileira de Vela. A 49er não é uma classe mista, portanto cada irmão corre em sua classe.

Marco Grael faz dupla com Gabriel Borges e não tem resultados expressivos na classe, mas chega com a vantagem de velejar no quintal de casa, já que ele cresceu em Niterói e aprendeu a velejar na Baía de Guanabara.

Martine corre ao lado de Kahena Kunze com quem conquistou o campeonato mundial da classe em 2014, foi duas vezes vice-campeã mundial (2013 e 2014) e  medalha de prata no Pan-Americano de Toronto, em 2015. Martine e Kahena também velejam no quintal de casa e vão tentar tirar proveito da raia pra lá de conhecida.

O 49er é um barco com 4,99 metros, daí o nome, e área vélica de 16,1 m2 na classe masculina e 13,8 m2 na classe feminina. Com casco estreito e trapézios onde os velejadores se penduram para fazer contrapeso, é um barco extremamente rápido que costuma proporcionar regatas emocionantes durante as competições.

Hoje a classe Laser volta à raia e as classes Finn e Nacra 17 têm o dia de folga. As regatas começam às 13h.

Foto World Sailing