Jorge Zarif estreia na quarta colocação após o primeiro dia de regatas da classe Finn

zarif

Jorginho Zarif mostrou que está na raia para brigar por uma medalha nesta que é sua segunda participação em Olimpíadas. O velejador começou o dia com um excelente quarto lugar em uma regata de recuperação após a largada a primeira montagem de boia no 20º lugar. Já na segunda regata do dia, Jorginho ficou na 6ª colocação, terminando o dia em quarto no geral.

Os veleiros da Finn voltam para a água amanhã onde Jorginho busca mais bons resultados.

Confira os primeiros colocados da Finn:

Vasilij Zbogar – Eslovênia
Jonas Hogh-Christensen – Dinamarca
Giles Scott – Grã-Bretanha
Jorge Zarif – Brasil
Ivan Kljakpvic Gaspic – Croácia

Brasileiros da RS:X terminam o dia na 8ª colocação após momentos de glória e problemas na raia

13906874_10154560894240757_950841540642320979_n

Patricia Freitas e Ricardo Winicki, o Bimba, passaram por grandes emoções na raia hoje. Com o ótimo resultado da primeira regata, um segundo lugar, Patricia Freitas começou mal a segunda regata perdendo o controle da vela, mas fez uma bela regata de recuperação terminando a regata em 14º. Já na terceira regata, a brasileira largou mal e o vento fraco, abaixo dos 5 nós, não favoreceu a brasileira que terminou em 16º. Os bons resultados de ontem e da primeira regata de hoje manteve a brasileira no Top 10 da classe.

Bimba, da RS:X Masculina, viveu momentos parecidos. Na primeira regata, Bimba, fez um excelente terceiro lugar vibrando muito com o resultado. A segunda regata foi bem complicada e Bimba terminou em 16º, mas o pior resultado foi um 31º da última regata que teve pouquíssimo vento. Nas redes sociais Bimba declarou: “o dia começou excelente e terminou um desastre. Descansar, colocar a cabeça no lugar e seguir adiante que estamos apenas na metade!”.

Os velejadores da RS:X tem a quarta-feira de folga e só voltam à raia na quinta-feira. Bimba e Patricia devem aproveitar o dia de folga para descansar e rever suas táticas de regata para a continuação da disputa.

Foto World Sailing

Scheidt tem problemas novamente e ainda busca regularidade na Rio-2016

scheidt2

O segundo dia do iatismo na Rio 2016 trouxe uma sensação de déjà vu para Roberto Scheidt. Assim como na estreia da classe Laser na Marina da Glória, o bicampeão olímpico encarou regatas de recuperação. Na primeira prova desta terça-feira (9) – a terceira da competição – o brasileiro teve problemas e terminou em 27º. Na sequência, voltou para às águas cariocas com mais força e garra e obteve um quarto lugar. Com esses resultados, se mantém entre os dez primeiros colocados, agora na 8º colocação, com 28 pontos perdidos. A liderança passou para o argentino Julio Alsogaray, com 7 pontos perdidos.

Na estreia, segunda-feira, Schedt finalizou a primeira regata na 23º posição, para, na segunda prova da classe Laser, cruzar a linha de chegada em primeiro lugar e garantir o 7º posto na classificação geral. Depois de dois dias de superação, o brasileiro descartou seu pior resultado, o 27º desta terça, para se garantir entre os oito melhores velejadores até o momento na Rio 2016. O bicampeão olímpico brasileiro volta a competir nesta quarta-feira (10), para mais duas regatas. A organização informa o início da programação da vela para as 13h05 (de Brasília).

“Gostaria de ter sido mais regular em todas as regatas disputadas até agora. Mas, meu bons resultados em duas delas, me deixam em condições de brigar pelas primeiras posições. Como já disse, o fundamental é me manter entre os ponteiros até a decisão. Amanhã (quarta) a raia será fora da Baía e vamos aguardar”, afirmou Scheidt, que é patrocinado pelo Banco do Brasil, Rolex, Deloitte e Audi, com os apoios de COB e CBVela.

Uma medalha no Rio de Janeiro significará marcas históricas para Robert. Se subir ao pódio, será o primeiro atleta, entre todas as classes do iatismo, a somar seis conquistas na vela. E isso em seis edições consecutivas dos Jogos, considerando todos os esportes. A disputa da classe Laser na Rio 2016 terá 10 regatas, duas por dia, e a medal race (regata da medalha) no dia 15.

A lituana Gintare Scheidt, esposa de Robert e uma das favoritas ao ouro na Laser Radial, somou um 8º e um 9º lugares nas regatas desta terça-feira. Com isso, conseguiu uma grande recuperação na classificação geral na categoria. Passou do 21º do primeiro dia, para a 6º colocação, com 18 pontos perdidos. Na estreia ela havia feito um primeiro e um 38º lugares. Como descartou o pior resultado, conseguiu um belo salto na tabela. A brasileira Fernanda Decnop, também da Laser Radial, ainda não conseguiu correr no pelotão da frente e terminou o dia na 23ª posição, após um 20º e um 19º lugares nas regatas de hoje.

Foto World Sailing/Divulgação

Jorginho Zarif, da classe Finn, estreia hoje na Rio-2016 e é um dos favoritos da classe

13932782_10153821384177634_3791215476791151785_n

Jorginho Zarif, de 23 anos, estreia hoje nas Olímpiadas do Rio de Janeiro. Velejador da classe Finn, ele foi campeão mundial e campeão mundial júnior em 2013 e figura entre os favoritos da classe a uma medalha nestes Jogos. As regatas da Finn estão previstas para começar às 13h na raia do Pão de Açúcar. Uma das mais tradicionais classes da vela olímpica, a Finn traz outros grandes nomes para o Rio de Janeiro. Giles Scott, da Grã-Bretanha, é um dos heróis da classe com quatro títulos mundiais no currículo (2016, 2015, 2014 e 2011) ele venceu, também, o último evento teste no Rio de Janeiro. É a primeira Olimpíada de Giles que tinha como maior adversário Ben Ainslie e agora ele é um dos atletas que mais dá esperança de medalha à Grã-Bretanha.

Além de Giles Scott, o dinamarquês Jonas Hogh-Christensen, medalha de prata da classe em Londres-2012, também é um adversário a ser batido na conquista de medalhas, ele também foi medalha de prata no Mundial da classe em 2016. Outro que promete velejar muito no Rio de Janeiro é Pieter-Jan Postma, da Holanda, ou Países Baixos. Ele foi quarto lugar em Londres-2012, bronze nos Mundiais de 2016 e 2013 e bronze no último evento teste.

As classes Laser, Laser Radial e RS:X Feminina e Masculina também estarão na água hoje.

Foto Finn Class/Divulgação

Scheidt tem dificuldades, mas termina bem o primeiro dia de regatas

160808_RIO2016_jr_99985

A estreia de Robert Scheidt em sua sexta Olimpíada começou estranha, mas terminou muito bem. Nesta segunda-feira (8), na Baía da Guanabara, no Rio de Janeiro, o brasileiro finalizou a primeira regata apenas na 23ª posição, porém, na sequência, se recuperou e venceu a segunda prova da classe Laser. Com isso, terminou o primeiro dia de disputas da Rio 2016 entre os top 10, ocupando a sétima posição, com 24 pontos perdidos. A liderança é do croata Tonci Stiponovic, com 6 pontos. O bicampeão olímpico brasileiro volta para a água nesta terça-feira (9), para mais duas regatas. A organização informa o início da programação da vela para as 13h05 (de Brasília).

Robert está muito bem acompanhado na luta pelo inédito tricampeonato olímpico e a sexta medalha em Jogos (além das duas douradas, tem duas pratas e um bronze). Sua mulher, Gintare Scheidt, veleja sob a bandeira da Lituânia e também está entre as favoritas para o lugar mais alto do pódio. Curiosamente, o casal teve um dia de resultados semelhantes e demonstrou grande poder de recuperação. Assim como o marido, Gintare teve dificuldades na primeira regata desta segunda-feira e terminou em 38º lugar. E assim como o marido, se recuperou na disputa seguinte para cruzar em primeiro. Na somatória, está em 21º lugar, com 39 pontos perdidos. A líder é a chinesa Lijia Xu, com 7.

O velejador de 43 anos mostrou ter força física e mental para enfrentar as adversidades de um torneio olímpico. Após os problemas na regata de estreia, voltou focado para a água e liderou a segunda bateria de ponta a ponta. “Foi importante terminar bem o dia. Agora é manter o foco na regularidade para chegar bem colocado à medal race e brigar pelo pódio. Estou no Rio em busca de uma medalha, não importa a cor. Mas, claro, se for dourada, melhor”, disse Scheidt.

Uma medalha no Rio de Janeiro significará marcas históricas para Robert. Se subir ao pódio, será o primeiro atleta, entre todas as classes do iatismo, a somar seis conquistas na vela. E isso em seis edições consecutivas dos Jogos, considerando todos os esportes. A disputa da classe Laser na Rio 2016 terá 10 regatas, duas por dia, e a medal race (regata da medalha) no dia 15.

Fernanda Decnop, da Laser Radial, não teve um bom dia e terminou na 15ª posição.

Classificação geral – após 2 regatas
1) Tonci Stipanovic (CRO) – 6pp
2) Julio Alsogaray (ARG) – 6pp
3) Sergei Komissarov (RUS) – 11pp
4) Cy Thompson (VIR) – 17pp
5) Jean Baptiste Bernaz (FRA) – 21pp
6) Sam Meech (NZL) – 22pp
7) Robert Scheidt (BRA) – 24pp
8) Rutger Van Schaardenburg (HOL) – 24pp
9) Colin Cheng (SIN) – 25pp
10) Tom Burton(AUS) – 25pp

Brasileiros da RS:X terminam o primeiro dia de regatas no top 10

160808_Rio2016_pm_13298

Ricardo Winick, o Bimba, e Patricia Freitas começaram bem a jornada olímpica em busca de uma medalhas em casa. As pranchas RS:X foram para a água hoje, na raia fora da Baía de Guanabara. Bimba enfrentou a dominância de Nick Dempsey, que venceu duas regatas e terminou em segundo lugar a terceira regata. Bimba fez três bons resultados (7º, 9º e 6º) e figura na 7ª posição geral. Nick Dempsey, da Grã-Bretanha, lidera com 4 pontos perdidos. Dorian Van Rijsselberghe, da Holanda, é os segundo com 9 pontos perdidos e o grego Vyron Kokkalanis está em terceiro com 10 pontos perdidos.

Na classe feminina, que também realizou 3 regatas, Patricia Freitas está na 6ª colocação geral com 18 pontos perdidos. A líder é a francesa Charline Picon, com 4 pontos perdidos, seguida pela russa Stefaniya Elfutina que somou 10 pontos perdidos. A italiana Flavia Tartaglini está em terceiro com 18 pontos perdidos.

Lembrando que a RS:X tem 12 regatas programadas antes das regatas da medalhas e os velejadores voltam para a água nesta terça-feira (9).

Foto World Sailing