Scheidt inicia ‘batalha naval’ em busca da sexta medalha olímpica

290595_627447_robert.semanario.fred_web_

Maior medalhista do Brasil na história na Olimpíada, Robert Scheidt inicia nesta segunda-feira (8), no Rio de Janeiro, sua jornada em busca da sexta medalha olímpica. O foco nas águas da Baia da Guanabara é o terceiro ouro (ele também tem duas pratas e um bronze), porém, o velejador de 43 anos sabe que travará verdadeiras ‘batalhas navais’ contra atletas mais jovens. A primeira regata da classe Laser está marcada para começar às 13h05. A segunda terá largada na sequência, após as disputas da RS:X masculina e feminina e Laser feminina. Ao todo serão 10 regatas, duas por dia, e a medal race (regata da medalha) no dia 15.

Uma medalha no Rio de Janeiro significará marcas históricas para Robert. Se subir ao pódio, será o primeiro atleta, entre todas as classes do iatismo, a somar seis conquistas na vela. E isso em seis edições consecutivas dos Jogos, considerando todos os esportes. “Claro que sei dos importantes números que podem ser atingidos, mas eu não penso muito nisso, especialmente neste momento. Minha cabeça está nessa Olimpíada”, diz Scheidt.

O fato de ser o atleta mais velho da classe Laser na Olimpíada e duelar com competidores até 20 anos mais jovens (a idade média não ultrapassa os 30 anos) não assusta Scheidt. Ele aposta justamente na experiência para conseguir a regularidade necessária para chegar à regata da medalha (medal race), no dia 15 (segunda-feira) entre os ponteiros e com chances reais de lutar pelo pódio. “Conta muito ter passado por todas as situações. Alguns atletas estão no auge da carreira, mas nunca participaram de uma Olimpíada. O fato de já ter definido medalha olímpica, já ter ganho e perdido na última regata, isso conta no final.”

Os números do bicampeão olímpico Robert Scheidt comprovam o valor da regularidade como arma para conquistar um lugar no pódio. Nas campanhas do ouro em Atlanta, prata de Pequim e bronze de Londres, ele esteve entre os 10 primeiros em todas as regatas. Em Atenas, onde também foi campeão, foi top 10 em nove entre 11 provas, enquanto em Sydney chegou ao segundo lugar chegando entre os 10 primeiros sete vezes ao longo da disputa.

Em 2016, ano de sua sexta Olimpíada, Scheidt se manteve entre os melhores do mundo – ocupa hoje o quinto lugar no ranking. Após vencer, no começo de janeiro, o Brasileiro de Laser, no Rio de Janeiro, o velejador conquistou, no fim do mesmo mês, seu sexto título em Miami da Copa do Mundo de Vela. No início de abril, garantiu a prata no Troféu Princesa Sofia, em Palma de Mallorca na Espanha. Na disputa do Campeonato Mundial de Laser, em maio, em Nuevo Vallarta, no México, ele terminou em 10º lugar.

Na reta final de preparação para a Olimpíada, venceu a Semana Internacional de Vela do Rio de Janeiro, que teve sua segunda fase encerrada dia 20 de julho, no iate clube da capital carioca. Na carreira são 175 títulos – 86 internacionais e 89 nacionais – além de cinco medalhas olímpicas (duas de ouro, duas de prata e uma de bronze).

Fonte e foto assessoria de imprensa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s