Hemisfério Ocidental de Snipe vai para ao último dia com cinco tripulações brigando pelo título

 

 

O evento internacional mais importante da classe Snipe em 2016 chega amanhã, sábado (25/6), ao seu último dia com cinco tripulações de três países diferentes saindo na frente na briga pelo título e pelo pódio. Após oito regatas disputadas, das dez previstas, a competição chega ao seu final com duas provas que prometem ferver as águas frias do inverno cabofriense.

A sexta-feira (24/6) de bons ventos de sudoeste, na faixa dos 12 nós, o famoso “vento social” na gíria dos velejadores, permitiu a realização de três regatas na raia da praia do Forte. E cada uma delas viu seus próprios dramas e sucessos. Na primeira do dia, os equatorianos voadores Edgar Diminich e Jaime Santos venceram com Felipe Sabino e Leo Lombardi (RYC/ICRJ) chegando em seguida e Rafael Gagliotti e Henrique Wisniewski (ICS) em terceiro. Os então líderes do campeonato, Xandi Paradeda e Gabriel Kieling, com um 11º, já descartados, abriram caminho para os rivais.

Na sétima regata da série, a segundo do dia, a dupla niteroiense-carioca Felipe Sabino e Leo Lombardi venceu, com os únicos representantes do Equador chegando em segundo para galgar ainda mais degraus rumo ao topo da súmula e Luiz Felipe Caneppa e Dante Bianchi (ICRJ) em terceiro.

Na última prova desta sexta-feira, os argentinos Luis Soubie e Diego Lipszyc venceram de ponta a ponta, desde uma excelente largada na boia até o último contravento, para se credenciarem também ao título e ao pódio. Helinho Lyra e Alexandre Muto fizeram uma excelente regata e chegaram em segundo (ocupam agora a 16ª posição geral) e outra dupla do Iate Clube do Rio de Janeiro, Breno Bianchi e Flavio Castro (12º gerais), chegou em terceiro. Mas quem comemorou mesmo foram os quarto colocados Rafael e Henrique do Iate Clube de Santos que, com a posição, empataram com os líderes equatorianos nos 37 pontos perdidos.

Outro empate na pontuação, desta feita em 39 pontos, acontece nas terceira e quarta colocações. Xandi Paradeda e Gabriel Kieling, mesmo não tendo um dos melhores dias, se seguraram em terceiro geral na súmula e Felipe Sabino e Leonardo Lombardi só ficaram em quarto no critério de desempate. Junto a estas quatro tripulações os argentinos Soubie e Lipszyc também estão na briga pelo título. Correndo por fora, contando com as regatas com muito equilíbrio e troca de posições que têm marcado o campeonato e com a entrada do segundo descarte, depois da nona regata, as outras duplas no Top 10 da súmula têm que contar com tropeços históricos dos líderes para sonhar com o pódio. Amanhã o mundo saberá quem triunfará ao final. Os resultados completos estão em: http://bit.ly/Snipe2016

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s