Scheidt cai, mas segue na briga por medalha no Mundial de Laser

O penúltimo dia de regatas do Mundial de Laser Standard foi complicado para os brasileiros da flotilha ouro. O vento apareceu forte e bastante rondado, deixando os velejadores um pouco confusos. Com dois resultados considerados ruins, Robert Scheidt caiu duas posições e agora aparece em 5º lugar, com nove pontos a menos que o quarto e terceiro colocados, que estão empatados com 65 pontos. O líder ainda é o inglês Nick Thomspn.

Bruno Fontes também teve um dia ruim e, com um 40º lugar na primeira regata do dia, que acabou virando o seu descarte, caiu para a 30ª colocação geral.

O único brasileiro que saiu feliz da água foi Lucas Bueno, que disputa a flotilha prata. Ele teve sua segunda melhor média na competição, com um 48º e um 47º e subiu para 46º.

O resultado completo está aqui.

Flotilha de oceano pernambucana disputa Regata Nelcy Ramos

No próximo dia 21 a flotilha de oceano de Pernambuco vai se reunir para a Regata Prático Nelcy Ramos. Estão convidadas as classes RGS A, RGS B, MOCRA Regata, MOCRA Cruzeiro. Veleiros sem certificados válidos terão seus ratings atribuídos pela organização. A largada está programada para as 13h, em frente à praça do Marco Zero no Porto do Recife. As inscrições custam R$ 30,00 por tripulante e podem ser feitas por e-mail a partir de 16 de maio pelo o endereço alvarodafonte@terra.com.br até o dia 19 de Maio às 17h.

Para ver o AR completo, clique aqui.

Segunda etapa do Pernambucano de Dingue tem disputa acirrada

P51505352.JPG

A segunda etapa do XVII Campeonato Pernambucano da Classe Dingue, realizada na raia do Iate Clube de Itamaracá no último domingo, foi marcada pela crescente competitividade e o caráter imprevisível que as disputas da categoria têm demonstrado no Estado. Com ventos variando entre 7 e 10 nós, os velejadores trabalharam pesado para conquistar suas colocações. As diferentes aptidões e talentos de cada tripulação foram essenciais para que nenhuma posição ficasse garantida por muito tempo, fato que exigiu dos iatistas bastante concentração, esforço e garra. O alto grau de competitividade que Pernambuco vem demonstrando – inclusive com a conquista do título Norte/Nordeste 2016 por Hans e Marina Hutzler (Cabanga) -, é mais um exemplo da evolução e consolidação dos velejadores locais no cenário nacional, em pleno preparo para o Campeonato Brasileiro 2016, que será disputado de 3 a 6 de setembro em Jurerê – Florianópolis/SC.

Na primeira regata do dia o Beautiful Killer (Marina Hutzler/Helena Granja) partiu na primeira posição, com o Caso Sério (Hans Hutzler/Karina Hutzler) em segundo com o vento limpo. Na primeira boia, a ordem de montagem foi Beautiful Killer, Caso Sério e Kamikaze (Leonardo Almeida/Miguel Andrade) nas três primeiras posições, respectivamente. O primeiro popa serviu para que o Kamikaze e o Caso Sério reduzissem a distância para as primeiras colocadas, mas as posições se mantiveram as mesmas até o primeiro través, quando o Kamikaze ultrapassou o Caso Sério e emparelhou com o Beautiful Killer. No segundo Popa, o Kamikaze assumiu a liderança e o Caso Sério, a segunda colocação, ordem que perdurou até o fim da primeira prova.

Na segunda partida do dia, o Kamikaze saiu na frente, com o Beautiful Killer e o Caso Sério bastante próximos. Marina e Helena souberam aproveitar melhor o primeiro contravento, e montaram a primeira boia na frente, com o Kamikaze em segundo e o Caso Sério em terceiro. Contudo, o Kamikaze conseguiu assumir a liderança no primeiro través – embora os três barcos estivessem muito próximos. O popa serviu para consolidar um pouco mais as posições, cujo arranjo não se alterou. No segundo contravento, o Beautiful Killer diminuiu a distância para o Kamikaze e aumentou a vantagem para o Caso Sério – vantagem essa que novamente foi diminuída pelo Caso Sério na sequência final de trajetos (popa-través-contravento). O Kamikaze terminou em primeiro, com o Beautiful Killer e o Caso Sério disputando bordo a bordo a segunda colocação, terminando a dupla feminina na vice liderança. Da mesma forma que na primeira regata, o Black de René Hutzler e Thiago Holanda ficou em 4o, e Paulo Andrade / Francisco Andrade terminaram na quinta posição.

O resultado completo pode ser visto aqui.

Sorsa é fita-azul da Regata Comodoro do ICRJ

image1 (1).jpeg

No último domingo foi realizada pelo ICRJ a Regata Comodoro. Dezenove barcos foram para a água e puderam disfrutar de um dia de sol e que demorou a firma. No final, o Sorsa foi o primeiro a cruzar a linha de chegada. Confira o relato do Almirante Adalberto Casaes, que ficou com o título na ORC:

“Próximo às 13:00h, horário previsto para a largada, um vento leste ameaçava entrar, teimando, entretanto, em não firmar. A CR, com a bandeira Recon içada, tentava reposicionar-se dentro e fora da barra, arrastando atrás de si verdadeira procissão de veleiros a motor.

Foi preciso aguardar até depois das 15:00h para que a insistência da Comissão de Regatas fosse premiada, presenteando os velejadores com brisa firme do quadrante Sul alcançando 10 a 12 nós.

Com muita agilidade a boia foi posicionada fora da barra, com largada nas proximidades da Escola Naval, sendo divulgado o percurso com marca de contravento-Feiticeiras por bombordo, em um total de 7,5 nm.

A maré vazava com quase 1 nó na parte mais profunda da raia; na largada o Sorsa, Angela e Duma, seguidos pelo Maestrale, escolheram ir por sotavento, extremidade favorecida por leve torcida do vento para a esquerda.

O Sorsa arrancou na dianteira e escolheu a esquerda da raia, onde predominava vento estável com rajadas de até 15 nós e corrente firme de vazante, lado também explorado pelo Saravah, Angela, Maestrale, e Bicho Grilo.

Ponteiro em todas as boias o Sorsa foi seguido em bloco por todos os veleiros de maior porte (Saravah, Angela, Miragem, Crioula, Duma e Vesper) enquanto o Maestrale, fazendo boa regata já dominava o bloco intermediário à frente do Navy Blue, Bicho Grilo e Esculacho, com Lady Milla mais atrás.

No final o vento baixou, caindo para a faixa dos 6 nós.

O Sorsa foi o Fita Azul obtendo a 2a colocação geral na ORC. O título ficou com o Maestrale e o Miragem pontuou como terceiro na categoria que assinalou a presença do maior número de veleiros.

Na IRC o Saravah conquistou bela vitória, seguido pelo Esculacho e Navy Blue. Na RGS o Blue Moon, Dorf, e Tchau Mandona, nesta ordem, completaram o pódio”

Resultado completo:
ORC
IRC
RGS