Torben Grael: Oportunidade perdida para a baía de Guanabara

baía poluida
Foto de Fred Hoffman tirada em fevereiro/2016

Quando o Rio de Janeiro foi selecionado para sediar os Jogos Olímpicos de 2016, um dos heróis brasileiros Torben Grael tinha muitas esperanças, mas está desapontado agora. Primeiro a classe Star foi tirada do programa olímpico, uma modalidade perfeita para os velejadores do Rio de Janeiro e classe na qual ele tem quatro das cinco medalhas olímpicas. Depois a única chance que a cidade teria de despoluir a baía de Guanabara, local das regatas olímpicas, também parece estar perdida. Quando, no verão passado, parecia que a limpeza não seria feita para os Jogos, Torben ainda tinha esperanças de que a competição iria ao menos melhorar o problema.

“Mesmo que não esteja 100%, esperamos que os acordos que foram feitos para a limpeza sejam colocados em prática. Isto foi o que aconteceu em Sydney 2000. A baía não estava da forma como eles queriam para os Jogos, mas todos os acordos foram cumpridos. Se pudermos ter algo parecido com isto, é motivo para comemoração”, disse ele na época.

No entanto, com o Zika virús se espalhando, com um país em recessão e um escândalo político impactando o país, Torben crê que a oportunidade foi perdida.

“Sempre achamos que ter um grande evento com os Jogos poderia ajudar”, disse ele recentemente em entrevista à TV canadense CBC. “Nós mesmos chegamos a colocar muita pressão para que isto acontecesse, mas, infelizmente não aconteceu quando eles tinham dinheiro. E agora, com o estado falido, está ainda pior.”

Torben veleja há anos na baía e esperava que os Jogos pudessem ajudar na despoluição da baía. “Não acho que vamos ver esta mudança agora. É parte da forma como a política de administração pública acontece por aqui. Tudo cresce muito rápido, muito desordenadamente.”

O estado é responsável por manter a baía, que foi descrita como um lixão a céu aberto por muitos locais e velejadores estrangeiros. O Comitê Olímpico Internacional, apoiado pela Organização Mundial da Saúde, repetiu inúmeras vezes que os atletas não correrão risco. “Não acho que haja um risco. Só tem uma aparência terrível”, disse Torben.

Muitos atletas são esperados no Rio antes mesmo do início dos Jogos para que possam adquirir imunidade. Outros chegarão bem em cima da hora, esperando minimizar este impacto na saúde. Muitos trarão antibióticos e produtos para limpar o equipamento e minimizar o contato com a água.

“Você sabe que o lixo flutuante pode diminuir a velocidade do seu barco. Acho que o governo vai ser cuidadoso recolhendo este resíduos nas áreas de regata, mas será só para o período dos Jogos e após a competição, vai voltar a ser do jeito que conhecemos. Acreditamos que teríamos algumas mudanças, algum legado, mas não vai acontecer. Infelizmente”, concluiu.

Traduzido da edição de 13/5/2016 do Sailing Scuttlebutt. Para ver o artigo origina, em Inglês, clique aqui.

2 comentários sobre “Torben Grael: Oportunidade perdida para a baía de Guanabara

  1. Pingback: Torben Grael: Oportunidade perdida para a baía de Guanabara - Boat Shopping

  2. Fabiano Prates Gomes

    Acho impressionante como um problema desses não possa ser resolvido.Quantas bocas de esgotos desovam no mar???? Armem uma rede na saída!…. Quanto as doenças e dejetod organicod é outra história… Mas quanto aos resíduos!?!?!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s