Grand Slam da SSL:Brasil classifica 100% do time para a próxima fase

A vela brasileira classificou 100% de seus representantes no City Grand Slam de Hamburgo entre as 30 tripulações que iniciam a segunda fase nesta sexta-feira (6) a partir das 6h00 (Brasília) no Lago de Alster, Alemanha. Bruno Prada e Augie Diaz (EUA) passaram em quinto lugar; Torben Grael e Stefano Lillia (ITA), em nono; e a dupla Francisco Siemsen e Arthur Lopes ficou na 14ª colocação. Outros 56 barcos foram eliminados após as seis primeiras regatas da Star Sailors League.

Torben e Bruno tiveram um dia perfeito em suas respectivas flotilhas. Ambos venceram a disputa final da primeira fase, sob condições desafiadoras: vento fraco, em torno de seis nós (10km/h) e rondados, ou seja, variando constantemente de direção. “Conseguimos largar do lado certo da raia e depois acertamos as rondadas. Em regata curta, acertar o primeiro contravento é fundamental”, destacou Torben, com 18 pontos perdidos ao lado de Stefano.

Confiante no bom desempenho, Bruno espera manter nas cinco regatas da segunda fase a regularidade apresentada em Hamburgo até o momento. “O primeiro objetivo já foi superado, agora é mirar as quartas de final. Queremos nos manter entre os cinco primeiros em cada prova”. Bruno e Augie somam 16 pontos perdidos. Os estreantes da SSL, Francisco e Arthur, têm 35 pontos e podem levar certa vantagem emocional. “Conseguimos mais do que esperávamos, nossa pressão é zero, mas vamos brigar pelas quartas”, cravou Arthur.

Regatas curtas, porém inteligentes – O sol brilhou nesta quinta-feira na cidade de Hamburgo, com três milhões de pessoas comemorando o aniversário 827 de seu porto. Milhares de moradores e visitantes transformaram as margens do Lago Alster em arquibancada para assistir ao terceiro dia do SSL City Grand Slam com 86 tripulações divididas em três flotilhas. Um show espetacular em duas versões: contravento e vento em popa. As boias do percurso estavam praticamente dentro dos parques lotados por fãs da vela.

Depois das largadas atrasadas devido ao vento indefinido, a Comissão de Regatas do clube anfitrião, Norddeutscher Regatta Verein (NRV) aproveitou uma brisa de leste para montar a raia, com cada perna medindo apenas 600 metros, o que exigiu manobras constantes dos velejadores e instinto apurado para escolher o rumo correto.

Na primeira flotilha, os italianos Negri e Lambertenghi levaram a melhor após duelo inicial entre campeões mundiais contra os alemães Stanjek e Kleen. Os italianos abriram distância, mas logo passaram a ser perseguidos pelos poloneses Kuznierewicz e Zycki. Com raia limpa à frente, Negri e Lambertenghi mantiveram a ponta para vencer a regata. A disputa pela segunda colocação se tornou acirrada entre alemães e poloneses.

Stanjek e Kleen recusavam-se a permitir a ultrapassagem de Kuznierewicz e Zycki, mas em uma manobra espetacular os poloneses conseguiram “roubar” o vento dos anfitriões quase em cima da linha da chegada e concluíram a prova na segunda colocação para garantir a liderança da primeira fase e o cobiçado troféu Heinz-Nixford. “Estamos muito satisfeitos com o barco e com nosso desempenho”, comentou Dominik Zycki.

“A primeira fase foi muito agradável e sempre mantivemos o controle da embarcação, mas a partir desta sexta-feira, haverá muita pressão entre os 30 primeiros. Não podemos mudar nosso estilo para buscarmos a classificação entre os dez que seguirão às quartas-de-final”, concluiu Zycki. Na segunda flotilha, vitória de Torben Grael, cinco vezes medalhista olímpico, além de campeão da Volvo Ocean Race e Louis Vuitton Cup. Torben contou com o proeiro Stefano Lillia para fazer uma regata perfeita.

Regatas eliminatórias – A forma de disputa da SSL é garantia de emoção. Na primeira fase os 90 barcos foram divididos em flotilhas amarela, azul e vermelha, com seis regatas para cada grupo. Os 30 mais bem classificados iniciam a segunda fase nesta sexta-feira (6), com mais cinco regatas. Os dez primeiros avançam para três regatas eliminatórias: quartas de final, semifinal e final, com oito, seis e quatro barcos, respectivamente, sendo que o vencedor da segunda fase vai direto para a final, enquanto o segundo colocado se garante na semifinal. As regatas decisivas estão previstas para sábado (7/5). A premiação geral é de 100 mil dólares.

As transmissões ao vivo pelo site oficial do evento, city.starsailors.com, terão comentários de especialistas e velejadores convidados no estúdio instalado no clube anfitrião, a partir das 6h00 (Brasília) desta quinta-feira (5). Na água, uma equipe embarcada irá produzir imagens em alta definição, mesclando ilustrações gráficos em 3D às imagens em tempo real, oferecendo assim, a telemetria completa das provas em detalhes como, distância, velocidade e nacionalidade dos barcos.

Fonte: SSL

Finn Gold Cup deverá ter disputa acirrada com brasileiro favorito ao título

Finn

Começa nesta sexta-feira em Gaeta, na Itália, a Finn Gold Cup, o campeonato mundial da classe Finn, com cinco dias de regatas, entre 8 e 13 de maio. E a disputa pelo título promete ser acirrada, uma vez que quatro velejadores diferentes venceram os quatro maiores eventos da classe até agora no ano.

O primeiro da lista foi Jorginho Zarif, que venceu a Copa do Mundo de Miami. Pieter-Jan Postma (NED) venceu o Europeu em Barcelona, Josh Junior (NZL) Venceu a Copa do Mundo em Palma e Jake LiIley (AUS) venceu a etapa francesa da Copa do Mundo em Hyères.

Jorginho será o representante brasileiro nas Olimpíadas e tem em seu currículo os títulos do Mundial e do Mundial Jr conquistados em 2013. O mundial deste ano dará a ele um bom parâmetro do que encontrará nas águas cariocas em agosto.

 

 

Yacht Clube da Bahia promove Clínica para a Classe Dingue 

Para mariana revista nautica 01.jpg

Para incrementar a qualificação dos seus velejadores a  Diretoria de Vela do YCB promoveu no último sábado, dia 30 de abril, uma clínica para a Classe Dingue, ministrada pelo Diretor de Vela e Motonáutica, Marcio Cruz.

“Eventos como esses são de suma importância. Fiquei muito satisfeito com o resultado. O conhecimento técnico apresentado nessa clínica merece parabéns”, ressaltou Manuel Bandeira, atual Capitão de Flotilha da Classe Dingue. 

A Classe Dingue tem conquistado a cada dia mais adeptos dentro do Yacht, agregando novos sócios para sua flotilha. O barco é considerado barco de entrada e é utilizado nas escolas de Vela de todo o País. Tal crescimento pode fornecer, em breve, novos velejadores para as demais classes do Clube.

Grand Slam da SSL: “Somos os azarões”, diz Siemsen em entrevista exclusiva

13122958_1002380059811879_3707703894185790543_o

Está rolando em Hamburgo, na Alemanha, o terceiro dia de regatas do Grand Slam da Star Sailors League. O Notícias Náuticas bateu um papo exclusivo com Francisco Siemsen, que está velejando ao lado de Arthur Lopes. Os dois disputam juntos o evento pela primeira vez.

Confira o que Francisco está achando da competição:

“As regatas por aqui estão bem difíceis. Vento muito rondado, raia curta, alto nível dos velejadores e lago pequeno para velejar. Na terça-feira tivemos 3 regatas com vento forte, embora inconstante. Na primeira largamos escapado, voltamos mas recuperamos e terminamos em 12. Na segunda e terceira velejamos bem e conseguimos um 6 e um 7. Hoje [quarta-feira] foi um teste de nervos. Vento estava bem fraco, rondado e a raia com muitos buracos. Na primeira regata conseguimos um suado 8. Na segunda lideramos nas primeiras duas pernas, mas o George Zabo (melhor do mundo na merreca segundo o Bruno Prada) nos passou no contravento e acabamos em 2º. Amanhã [quinta-feira] é a última regata da classificatória e esperamos manter o ritmo para chegar bem na segunda fase. Mas somos os azarões. Vamos focar na velejada e, quem sabe, dar um pouco de trabalho para as estrelas.”