Brasil briga por dois ouros na final da Copa do Mundo

Na última competição antes dos Jogos Olímpicos Rio 2016 em que a Equipe Brasileira de Vela está reunida, o Brasil garantiu representantes em cinco medal races na tradicional etapa de Hyères (França) da Copa do Mundo da Federação Internacional de Vela (ISAF). A disputa por um lugar no pódio será realizada neste domingo, a partir das 6h (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pelo canal da World Sailing no YouTube (http://bit.ly/1Tcko9e). Dos 15 velejadores brasileiros classificados para o maior evento esportivo do planeta, 12 competiram na etapa francesa.

Campeãs em Hyères em 2013 e 2015 na classe 470 feminina, Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan se classificaram para a medal race na terceira posição, com 38 pontos perdidos. Elas ficaram apenas quatro pontos atrás das líderes, as francesas Camille Lecointre e Hélène Defrance. Em segundo, com 35, estão as britânicas Hannah Mills e Saskia Clark.

“Estamos muito felizes pela nossa última competição internacional antes dos Jogos Olímpicos. Vamos participar da regata da medalha com possibilidade de defender nosso título do ano passado”, afirmou Fernanda, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim-2008, na classe 470 feminina ao lado de Isabel Swan. Na atual temporada, ela e Ana foram ao pódio em quatro das cinco competições que disputaram até o momento.

Na 49erFX, Martine Grael e Kahena Kunze, campeãs em Hyères em 2014 e prata no ano passado, passaram em segundo para a regata da medalha, com 58 pontos perdidos. Em primeiro ficaram as suecas Lisa Ericson e Hanna Klinga, que também somaram 58 e levaram vantagem sobre as brasileiras no critério de desempate.

Jorge Zarif também se garantiu na regata da medalha. Na classe Finn, o campeão mundial em 2013 se classificou em sexto, com 43 pontos perdidos. Em primeiro está o australiano Jake Lilley, com 28 pontos perdidos, em segundo o norueguês Anders Pedersen, com 35, e em terceiro o croata Ivan Kljakovic Gaspic, com 36. Como a regata da medalha tem pontuação dobrada, o brasileiro tem chance de alcançar o pódio.

O Brasil também terá representantes em mais duas regatas da medalha. Na RS:X feminina, Patricia Freitas passou em oitavo, com 106 pontos perdidos. A líder é a polonesa Zofia Noceti-Klepacka, com 35. Na Nacra 17, Samuel Albrecht e Isabel Swan ficaram em nono, com 118 pontos perdidos. Em primeiro passaram os britânicos Ben Saxton e Nicola Groves, com 73. Esta será a primeira vez que a dupla brasileira encerrará um campeonato internacional no Top10.

Não disputam a regata da medalha Marco Grael e Gabriel Borges, que terminaram a 49er em 13º, com 153.20 pontos perdidos; Ricardo Winicki, o Bimba, que ficou em 14º na RS:X masculina, com 118 pontos perdidos; Fernanda Decnop, 28ª colocada na Laser Radial, com 159 pontos perdidos; e Bruna Martinelli, que terminou em 40ª na RS:X feminina, com 293 pontos perdidos.

Bicampeão olímpico, Robert Scheidt optou por não disputar a etapa de Hyères para focar na preparação para o Mundial de Laser, entre os dias 12 e 18 de maio, no México. Na 470 masculina, Henrique Haddad e Bruno Bethlem também não competiram. A dupla preferiu ficar no Rio de Janeiro treinando na Baía de Guanabara, palco da vela nos Jogos Olímpicos.

No total em etapas da Copa do Mundo (desde 2009), o Brasil soma 37 medalhas, sendo 19 de ouro, nove de prata e nove de bronze.

Fonte: Assessoria

Brasil chega no último dia do Mundial Master de Laser na briga pelo ouro

13087134_779937755439671_1410327033224577083_o.jpg

Neste sábado termina em Puerto Vallarta, no México, o Mundial Master de Laser Radial. Nem Wanderley, que liderou a categoria Master durante toda a competição, está com quatro pontos de vantagem para o segundo colocado, o neozelandês Richard Blakey.A competição termina neste sábado.

“As condições estavam diferentes dos outros dias. O dia amanheceu nublado e com uma bruma no horizonte. Aos poucos ele foi abrindo e ao chegarmos na raia o vento ia aumento constantemente”, disse Nem.

Quem também está na briga por medalhas é Luis Castro, que aparece em terceiro na Grand Master. Também na Master, Marcia Macdonald é a primeira entre as mulheres e deverá subir no pódio no final do dia. Fabio Ramos, em quarto na Aprediz, tem mais duas regatas para tentar diminuir a diferença para o terceiro colocado, que é de apenas cinco pontos.

Confira os resultados completos aqui.

Confira o relato de Nem:

“A primeira regata começou com uns 10 nós e durante o primeiro contravento chegou a uns 12, mas depois caiu para uns 10 nós novamente, com muita onda. Bem difícil a tocada. Larguei bem a sotavento e cambei assim que possível para a direita, com o italiano a barlavento e um americano na retranca, que estava bem mais rápido e logo abriu uma boa vantagem. Montei a boia em 3º, o que mantive no través, mas no popa perdi uma posição para a Márcia. No segundo contravento não velejei bem e perdi mais uma posição. No popa seguinte e través consegui encostar no quarto mas terminei em quinto. Seguramente não consigo ter velocidade com este vento de uns 10 nós com onda

A segunda regata largou com uns 14-15 nós, favorecendo na comissão, mas não tive uma boa largada. Optei pela direita que é o lado que mais prevalece, mas com algumas viradas leves para a esquerda. Montei em 4º, mantive no través e no início do popa consegui encostar logo no 2º e 3º, mas do meio para frente o vento perde pressão e não consegui passar ninguém. No contravento não velejei muito bem e mantive a quarta posição. No popa seguinte, novamente iniciei bem, encostei no 3º, mas do meio até a boia perdi rendimento. O vento diminui e fica difícil descer as ondas e nunca fui bom nesta condição. Perdi para o americano e cheguei na boia lado a lado com o italiano. Consegui montar na frente dele, mantendo no través e chegando um pouco no americano. No último contravento, que é bem curto, o americano deu chance e mesmo cambando na cara do italiano, consegui passar o americano colocando ele entre eu e o italiano. No final acabei em 3º com a desclassificação do argentino que tinha terminado em 2º. Na real não velejei bem, mas deu para manter, mas diminuindo a diferença.”

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan assumem a liderança da Copa do Mundo

O terceiro dia de regatas da etapa francesa da Copa do Mundo de Vela foi excelente para a dupla Fernanda Oliveira e Ana Barbachan. Com um segundo lugar na única regata do dia, as gaúchas assumiram a liderança da competição na classe 470.

“Para mim está um pouquinho frio. Prefiro o Rio de Janeiro”, brincou Fernanda, que venceu a competição em 2013 e 2015. “Este é um evento muito tradicional aqui na Europa, bem famoso e a regata está sempre cheia de bons velejadores. Hoje estamos contentes, mas amanhã posso te dar outra resposta, já que a previsão é novamente de vento Mistral”, completou.

O vento forte que soprou na última semana deu uma bela diminuída tanto na quinta-feira quanto hoje e os velejadores chegaram a esperar um tempo em terra antes das regatas. Das duas programadas para o 470 feminino, apenas uma foi disputada.

Já as meninas do 49erFX conseguiram disputar quatro regatas. Martine Grael e Kahena Kunze subiram uma aposição e já aparecem em terceiro. As líderes são as suecas Lisa Ericson e Hanna Klinga.

Na Finn Jorginho Zarif também teve um bom dia, vencendo a primeira regata e somando um quinto na segunda. Com isso ele subiu para a sétima colocação. O líder é o australiano Jake Lilley.

Patricia Freitas, da RS:X, também aparece em 7º depois da vitória na última regata de ontem e um oitavo lugar na única regata do dia.

Samuel Albrecht e Isabel Swan disputaram quatro regatas na Nacra 17 e já aparecem no top 10, na oitava colocação. A fase classificatória termina neste sábado e os dois têm grandes chances de disputar a medal race, regata de pontuação dobrada em que participam apenas os dez primeiros colocados.

Para ver o resultado completo, clique aqui.

 

ICRJ promove Taça Leopoldo Geyer para clássicos

Nos dias 21 e 22 de maio o ICRJ vai promover a II Taça Leopoldo Geyer para veleiros clássicos. O evento é aberto às classes RGS e Bico de Proa e será disputado em duas etapas: no sábado o percurso é do Rio até a Ilha de Palmas e no domingo da Ilha de Palmas até o Rio. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas na secretaria náutica do clube até às 11h do sábado.

Leopoldo Geyer foi um grande incentivador da vela no Brasil, principalmente no Rio Grande do Sul. Começou velejando em 1909 num escaler comprado num leilão do Loyd. Fundou o Iate Clube Guaíba, fundou os Veleiros do Sul, fundou o Clube dos Jangadeiros, todos em Porto Alegre, fundou a Savel (Sociedade dos Amigos da Vela), que financiou vários barcos especialmente para jovens. Recebeu o Grau de Capitão, conferido pela Ordem dos Veleiros da Escola Naval em 17/10/1965. Recebeu a Comenda de Benemérito do Esporte Gaúcho, conferido em 13/12/1967. Foi o Patrono da Vela Gaúcha, patrono do Clube dos Jangadeiros. Recebeu a Medalha de Tamandaré, conferida pela Marinha do Brasil em 1957, a Medalha Mérito Nacional Esportivo, outorgada pelo presidente da república em 1973. Foi Presidente honorário dos Veleiros do Sul. Eleito em 28/6/74 1º Grande Benemérito do Clube Veleiros do Sul, em agradecimento ao primeiro Clube de Vela que fundou. Recebeu o Mérito Naval,  Maior condecoração da Marinha, conferida pelo 5º Distrito Naval de Florianópolis. Foi presidente da Federação de Vela e Motor do Rio Grande do Sul, presidente da Federação Metropolitana de Vela e Motor do Rio de Janeiro, Vice Comodoro do Iate Clube do Rio de Janeiro, Diretor de vela do Iate clube do Rio de Janeiro, quando fundou a Escola dos Veleiros (atual EDN). Foi Comodoro dos Veleiros do Sul, Comodoro do Clube dos Jangadeiros e recebeu vários outros títulos não ligados ao iatismo.

Confira o AR completo aqui.

McMillan estreia na liderança da 2ª etapa do ESS

13086947_1397842893574871_4201199541384865927_o

Começou nesta sexta-feira em Qingdao, na China, a segunda etapa da Extreme Sailing Series. A flotilha de 8 GC32 foi para a água esperando o vento de 20 nós, mas, como por lá tudo pode acontecer, o vento não apareceu e apenas uma regata foi realizada. O defensor do título da ESS Leigh McMillan se deu melhor e, a bordo do Land Rover BAR Academy, foi o primeiro a cruzar a linha de chegada.

“Qingdao é conhecida pelo tempo inconstante e você nunca pode parar de prestar atenção – em um momento está cinco nós e no outro 20! Aqui você tem que estar preparado para tudo e a previsão para este sábado indica mais vento, então…”, disse McMillan.

Destaque para o Sail Portugal, que terminou a regata na segunda colocação.

A competição segue na madrugada desta sexta para sábado.

Resultados após uma regata:

  1. Land Rover BAR Academy (GBR) 12 pontos.
  2. Sail Portugal (POR) 11
  3. Alinghi (SUI) 10
  4. Red Bull Sailing Team (AUT) 9
  5. Team Turx (TUR) 8
  6. One (CHN) 7
  7. Oman Air (OMA) 6
  8. SAP Extreme Sailing Team (DEN) 5

 

Réplica da Arca de Noé visitará o Rio nas Olimpíadas

ARK1-620x350

Você que pensa que já viu de tudo nesta vida, saiba que está enganado. Aposto que nunca viu a Arca de Noé. Mas fique tranquilo, que ela poderá ser vista no Rio de Janeiro durante os Jogos Olímpicos. Duvida? Pois uma organização cristã holandesa construiu a arca e vai trazê-la para o Brasil.

Maior do que um campo oficial de futebol, ela foi construída de acordo com as medidas bíblicas descritas no livro gênesis 6:15: 30 metros de largura, 125 metros de comprimento e 23 metros de altura. São cinco andares, que podem abrigar mais de 2.500 pessoas.

Segundo Johan Huibers, o carpinteiro que construiu a arca, a ideia surgiu de um sonho que ele teve em que a sua cidade natal ficava alagada após uma tempestade.

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui.

 

Brasil briga por medalha em três classes do Mundial Master de Laser

 

13072672_779937428773037_3944348764119893037_o

Depois de um dia de folga mais do que merecido, os velejadores que estão disputando o Mundial Master de Laser voltaram para a água em Puerto Vallarta, no México, para a disputa de mais duas regatas. O paulista Carlos Eduardo Wanderley, o Nem, segue liderando na categoria Master com cinco pontos de vantagem. Na mesma categoria, Marcia Pellicano Macdonald lidera entre as mulheres e ocupa a 7ª colocação geral dentre 29 competidores.

Na categoria Grand Master, Luis Castro aparece em terceiro lugar após oito regatas. Também na briga pelo pódio está Fabio Ramos, da Aprediz, que está a apenas três pontos do terceiro colocado.

Ainda faltam mais dois dias de competição e duas regatas estão programadas para esta sexta-feira e mais duas para o sábado.

O resultado completo você vê aqui.

Confira o relato de Nem sobre as regatas desta quinta-feira:

“A primeira regata foi disputada com vento de 220°, intensidade de 8 a 10 nós e largada favorecendo na comissão. Saí bem e quando tive a oportunidade cambei para a direita, em uma rajada positiva. A pressão estava entrando do meio da raia. Dei água para alguns barcos e cambei em uma leve rondada da direita. Um pouco mais à frente o pessoal de sotavento começou a levar vantagem e depois deu esquerda. Com isso montei mal e no primeiro través tomei uma bandeira amarela. Paguei 720 e após uma difícil recuperação terminei em 7º. O detalhe desta regata foi que, ao contrário dos outros dias, o vento não aumentou ao longo da regata, ele deu uma diminuída. Com as ondas picadas junto com as pequenas vagas tenho uma dificuldade em acompanhar o pessoal da ponta.

 

Na segunda regata, também de 220°, com uns 12 a 13 nós, larguei bem a sotavento e cambei em uma rajada rondada. Fui pegando rajadas e pressão pelo meio da raia e montei em 2º máster e 5º geral. Na minha frente estava um mexicano pré-mastrer que corre de Standard e pelo peso dele um pouco lento no través. Como ele orçou no começo, a opção foi passar por sotavento, mas como tive a bandeira amarela na primeira regata, tive que ir com calma. Passei um pouco antes da boia. Nessa o argentino abriu um pouco. No popa encostei no argentino e no segundo contravento me aproximei um pouco mais. No segundo popa perdi a chance de passá-lo, por algumas ondas perdidas e no través final encostei de vez, montando logo atrás dele. No contravento curto não consegui passá-lo, terminando em segundo, 4º geral. Esta foi a primeira regata que deu para ver rajadas e buscar algumas rondadas, sem prevalecer um lado específico.

 

Ambas regatas foram vencidas na geral pelo pré-master neozelandês Scott Leith. Um ótimo velejador, forte e muito rápido em qualquer condição.

 

Destaque do dia foram a Márcia Pellicano Macdonald que vem subindo de posição, liderando no máster feminino, e o Luis André no grand-máster, que após um começo complicado vem subindo de posição, principalmente no vento fraco e médio-fraco”

 

 

BL3 Escola de Iatismo é a nova parceira do Notícias Náuticas

12801676_1050893888285056_2424668082725076423_n
Um dos veleiros oceânicos da BL3 velejando em Ilhabela. É possível fazer charter, fazer aula e até mesmo correr as regatas locais e algumas mais longas, no RJ, ao longo do ano Foto: Aline Bassi

A tradicional escola de vela paulista BL3 é a nova parceira do Notícias Náuticas. A empresa, que tem sede na praia da Armação, em Ilhabela, no litoral norte, tem mais de 20 anos de mercado e conta com aulas de vela oceânica, Optimist e uma guardaria de monotipos e windsurfe.

“A BL3 procura sempre estar na vanguarda e incentivar projetos e pessoas que tenham este mesmo espírito. O Notícias Náuticas é o hoje o melhor boletim da náutico do Brasil, sempre atualizado e divulgando tudo que acontece na vela brasileira e no mundo. A BL3 está muito feliz, de alguma forma fazer parte deste grande projeto”, disse Pedro Rodrigues, fundador da empresa.

“Esta parceria com a BL3 tem um gostinho especial, pois foi lá que aprendi a velejar, há 20 anos atrás, e a minha história no esporte tem muito a ver com a história da BL3. Hoje não consigo ir para Ilhabela sem passar por lá e encontrar os amigos tendo à disposição a melhor infraestrutura para a prática da vela do litoral paulista”, disse Mariana Peccicacco, fundadora do site.

Para quem ainda não conhece ou para quem quer praticar o esporte no litoral e não sabe onde, fica a nossa sugestão!

BL3:

Avenida Perimetral Norte, 4260, Praia da Armação, Ilhabela

www.facebook.com/bl3escoladeiatismo/

http://www.bl3.com.br/

 

Hyères: Brasil aparece no top 10 em quatro classes

 

O segundo dia de regatas em Hyères, na França, foi bem diferente do primeiro, quando os velejadores que estão disputando a Copa do Mundo de Vela mais sobreviveram do que velejaram. O vento diminuiu bastante e as regatas começaram a ser disputadas com cerca de 10 nós. As gaúchas Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, que foram muito bem no vento forte, inclusive vencendo uma regata, caíram uma posição neste segundo dia e agora estão em quarto lugar na classe 470. Apenas três pontos as separam das líderes, as inglesas Hanna Mills e Sáskia Clark.

Jorginho Zarif, na Finn, também caiu mas, na 13ª colocação geral, ainda segue na briga pelo top 10. Quem também está na briga pelos top 10 é Bimba, que ocupa a 11ª colocação na RS:X. Patrícia Freitas já está na zona da medal race, em 9º também na RS:X. Bruna Martinelli é 39ª.

Na Laser, Fernanda Decnop foi penalizada por um OCS, mas ainda assim subiu uma posição e aparece em 28º.  Entre os homens, o Brasil não tem representantes.

Na 49er, que já completou seis regatas, Marco Grael e Gabriel Borges estão em 25º. Os dois tiveram reparadas as duas primeiras regatas da série e não completaram a terceira. Entre as meninas, Martine Grael e Kahena Kunze aparecem em sexto lugar após quatro regatas. As líderes do ranking mundial estão voltando com calma para a água após uma lesão no joelho da Kahena.

Depois de não completarem a única regata de ontem, Samuel Albrecht e Isabel Swan aparecem em 10º na Nacra 17 com quatro regatas disputadas hoje.

Os resultados completos podem ser vistos aqui.

Fernanda Oliveira e Ana Barbachan estreiam em terceiro na Copa do Mundo da França

O primeiro dia da etapa francesa da Copa do Mundo de Vela que está sendo disputada em Hyères, não foi nada fácil. O vento forte, com mais de 25 nós, que soprou o dia todo fez com que muitos velejadores capotassem e saíssem com alguns roxos pelo corpo. A dupla gaúcha Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, conseguiu administrar bem a situação extrema e estreou na terceira colocação, com uma vitória na primeira regata e um sétimo lugar.

Na 49er, Marco Grael e Gabriel Borges não completaram a segunda regata do dia e começam o evento francês em 29º. Na Finn, Jorge Zarif ocupa a 12ª colocação. Na Laser Radial, Fernanda Decnop sofreu com o vento e encerrou o dia também na 29ª colocação. Na Nacra 17, Samuel Albrecht e Isabel Swan capotaram na única regata do dia e assim como outras 18 duplas não completaram. Patrícia Freitas fez três regatas na RS:X e aparece em 13º.  Martine Grael e Kahena Kunze devem fazer sua estreia nesta quinta. Robert Scheidt não disputa o evento.

A previsão para esta quinta-feira não é das mais animadoras e o vento forte deverá continuar. Para ver o resultado completo, clique aqui.