Brasil é campeão mundial militar de Match Race

35645586_10160610670675654_4110451390680137728_o

A equipe brasileira conquistou nesta quarta-feira em Helsinki, na Finlândia, a medalha de ouro no Mundial Militar de Vela na categoria Match Race. O time formado por Geison Mendez, Gustavo Thiesen, Mario Tinoco, Gabriel Borges e Gabriela Nicolino venceu a equipe russa na final do Match Race por 2×0 com ventos que chagaram na casa dos 25 nós. Participaram da competição equipes de 15 países.

Três times brigam pelo título da Volvo Ocean Race a partir de quinta-feira

m121466_13-11-180620-jre-83865-4847.jpg

A Volvo Ocean Race está chegando ao fim com a largada da última perna nesta quinta-feira em Gotemburgo. Um uma final inédita nos 45 anos da competição, três times brigam pelo título no Sprint de 700 milhas até a chegada em The Hague. Mapfre e Team Brunel estão empatados na liderança, com 65 pontos, enquanto o Dongfeng Race Team aparece em terceiro, apenas um ponto atrás. O Team AkzoNobel, que conta com Martine Grael a bordo, é o quarto colocado, com 54 pontos. A largada desta última etapa poderá ser vista ao vivo no site http://www.volvooceanrace.com

Team Brunel vence na Suécia; Volvo Ocean Race está empatada

O Team Brunel foi vencedor da décima etapa da Volvo Ocean Race, percurso de 1.300 milhas entre Cardiff (País de Gales) e Gotemburgo (Suécia). Na noite desta quinta-feira (14), a equipe de Bouwe Bekking completou a prova em 4 dias, 5 horas e 12 minutos. O MAPFRE finalizou em segundo lugar, um pouco mais de um minuto atrás – 4 dias, 5 horas e 13 minutos.

“Não fizemos escolhas diferentes e vencemos. Não relaxamos, pois estávamos pouco à frente”, contou Bouwe Bekking.

O team AkzoNobel, da brasileira Martine Grael, ficou em terceiro lugar, com 4 dias, 5 horas e 32 minutos de regata. Na sequência chegaram Dongfeng Race Team, Turn The Tide on Plastic e Vestas 11th Hour Racing.

O resultado embola a classificação Volvo Ocean Race 2017-18. MAPFRE e Team Brunel estão empatados agora na liderança com 65 pontos. O MAPFRE leva vantagem no desempate!  Continuar lendo “Team Brunel vence na Suécia; Volvo Ocean Race está empatada”

Semana de Vela de Ilhabela terá inscrições a partir de R$ 100,00

20045270_775350015978207_7640629209213286886_o

O Comitê Organizador da 45ª Semana de Vela de Ilhabela confirmou a manutenção das inscrições dos velejadores nos mesmos valores do ano passado. A partir desta terça-feira (12) até 30 de junho, quando acaba a primeira fase, o valor por tripulante passa de R$ 150 para R$ 100. Valor esse com desconto para as tripulações de veleiros que ficarem em seus clubes ou amarras próprias.

Para as tripulações de veleiros que ficarem nas poitas do Yacht Club de Ilhabela, o preço fica em R$ 220 por tripulante. Já as equipes que escolherem uma vaga na marina do Yacht Club de Ilhabela, o custo será de R$ 300 por tripulante.

Os valores a partir do dia 1º de julho igualmente serão mantidos nos mesmos patamares de 2017.

O acesso ao sistema de inscrições estará disponível até 15 de julho de 2018. O valor do pagamento da taxa de inscrição do veleiro será definido no momento da inscrição.

O processo é feito exclusivamente por meio do site http://www.svilhabela.com.br.

E quem já fez?

Todos os barcos que fizeram o processo de inscrição até agora terão a diferença do valor investido devolvida. A medida foi adotada pelo Comitê Organizador da 45ª Semana de Vela de Ilhabela devido a crise econômica vigente e pelo pedido dos velejadores. E só foi possível graças ao apoio e parceria com a Prefeitura do Município de Ilhabela.

Vale lembrar que o simples cadastramento no sistema de inscrições não garante nenhuma faixa de valor e a inscrição só será efetivada após o depósito bancário e envio do comprovante para o email: eliete@fulltime-eventos.com.br

Pousadas parceiras

A maioria das pousadas parceiras oficiais da Semana de Vela de Ilhabela também mantém os preços de 2017! O Comitê Organizador brevemente apresentará os estabelecimentos que oferecerão preços ainda mais especiais aos velejadores da 45ª Semana de Vela de Ilhabela. Aguardem.

O evento será disputado no Yacht Club de Ilhabela e chega à sua 45ª edição com as seguintes classes convidadas: ORC, IRC, BRA RGS, Clássicos, C-30, HPE30, HPE25 e Bico de Proa.

Será realizado em paralelo o Campeonato Brasileiro de C-30 e a Regata por Equipes.

AR do Brasileiro de ORC e IRC já está disponível

IMG_3347_1500x1000

Já está no ar o AR do Brasileiro de ORC e IRC. O evento este ano acontecerá em paralelo à Santos Rio e ao Circuito Rio. O evento é organizado pela ABVO e é aberto a todos os associados que estejam com o certificado de medição em dia. Estão programadas sete regatas e a Santos Rio não poderá ser descartada. Ela será usada como critério de desempate. Serão premiados os três primeiros colocados das categorias IRC I, IRC II, ORC I e ORC II, além dos campeões gerais de cada categoria.

Confira o AR

 

Equipe da Sardenha explica mal entendido sobre a America´s Cup

adelasia di torres

O porta-voz da equipe Sardinia Challenge Adelasia di Torres explicou o mal entendido sobre a confirmação da participação da equipe na próxima America´s Cup. Segundo ele, Colin Squire, editor da revista Superyacht, interpretou erroneamente a fala da equipe, o que fez com que ele entendesse que o time já estava confirmado na competição.

O que acontece, no entanto, é que, se o time aplicar a sua participação na Copa até o dia 30 de junho, prazo final da inscrição, o que provavelmente vai acontecer, ela será aceita.

“Tive a impressão, quando escrevi o texto para a imprensa, de que o desafio havia sido aceito, mas aparentemente eu interpretei errado a conversa [com o líder da equipe Renato Azara]. É terrível, eu nunca enviaria algo para a imprensa se eu soubesse que estava incorreto, mas pareceu que Renato disse com segurança que, quando ele submetesse o desafio no final do mês, o que ele quer fazer, eles [o Royal New Zealand Yacht Squadron] aceitaria. Foi um erro de interpretação meu que veio por conta de um problema de linguagem. Ele está tentando armar o desafio há quatro ou cinco meses e o que podemos fazer agora é sentar e esperar”, disse Squire.

 

Volvo Ocean Race: MAPFRE lidera ao norte da Escócia

A penúltima etapa da Volvo Ocean Race se aproxima de sua conclusão em Gotemburgo (Suécia). Os barcos já navegam pelo norte da Escócia e farão a aproximação aos países da Escandinávia ainda nesta quarta-feira (13).

Desde a saída de Cardiff (País de Gales), as equipes sofreram com ventos fracos. Mas a intensidade aumentou nas últimas horas. O mais favorecido foi o espanhol MAPFRE, que abriu pequena vantagem na liderança da perna.

”Atravessar a cordilheira a oeste da Irlanda foi fundamental”, disse o timoneiro do MAPFRE, Rob Greenhalgh. ”Passamos as 24 horas anteriores indo para mais ao norte possivel para tornar a travessia o mais confortável”.

Com tanto em jogo, as equipes estão se esforçando mais do que nunca, sabendo que o que acontece agora acabará afetando sua posição geral no final.

O líder geral do campeonato, o Dongfeng Race Team, ocupava o segundo lugar no placar do fim da manhã desta quarta. Turn the Tide on Plastic vinha em terceiro lugar. O Akzonobel, da brasileira Martine Grael, perdeu contato na ponta.

”Agora temos que ser rápidos para alcançar o MAPFRE”, disse Kevin Escoffier do Dongfeng Race Team.

A brasileira Martine Grael também comentou sobre as dificuldades da etapa entre o País de Gales e a Suécia.

“Tivemos três paradas de vento, e estamos praticamente sem vento nenhum neste momento. Neste ponto, acredito que todos os barcos já estiveram em algum momento na liderança, e estamos com previsão de muito vento a partir de hoje a noite, e que deve durar por aproximadamente 24 horas. Por isso, acredito que quem conseguir sair deste vento fraco vai se dar bem. Agora, vamos ver como saímos daqui.”

Já exausta depois de oito meses de regata ao redor do planeta, a perna 10 está cobrando seu preço.

Pode ser etapa mais curta até hoje, mas também está se tornando uma das mais difíceis.

“Nós não dormimos muito nessa perna”, disse a atleta olímpica australiana Nina Curtis, tripulante do quarto colocado Team Brunel.

“Mesmo quando tinha vento fraco, nós estávamos constantemente movendo. Acho que o máximo de sono que eu peguei foi uma hora. Os caras me disseram que seria intenso, mas esse é um novo nível de intensidade”.

As tripulações terão que lutar contra a tempestade de ventos fortes perto de 45 nós, chuva forte e pouca visibilidade enquanto cruzam o Mar do Norte e seguem para o sul ao longo da costa da Noruega.

Embora permaneçam mais de 960 km do fim da etapa de 1.300 milhas de Cardiff, no País de Gales, até Gotemburgo, na Suécia, a pressão continua.

Se o MAPFRE ganhar a perna com Dongfeng em segundo lugar, a equipe espanhola ficaria empatada em pontos (se Dongfeng, como esperado, receber um bônus para o tempo total mais rápido).

A previsão de chegada em Gotemburgo é nesta quinta-feira (14).

Classificação geral da  Volvo Ocean Race

1. Dongfeng Race Team – 60 pontos

2. MAPFRE – 59 pontos

3. Team Brunel – 57 pontos

4. team AkzoNobel – 48 pontos

5. Vestas 11 horas de corrida – 36 pontos

6. SHK / Scallywag – 29 pontos

7. Turn the Tide on Plastic – 26 pontos

** Se houver igualdade na classificação geral, a tabela da In-Port Race Series será usada para desempate.

Classificação geral das In-Port Race Series

1. MAPFRE – 56 pontos

2. Dongfeng Race Team – 49 pontos

4. Team Brunel – 41 pontos

3. team AkzoNobel – 39 pontos

5. Vestas 11 horas de corrida – 26 pontos

6. Sun Hung Kai / Scallywag – 21 pontos

7. Turn the Tide on Plastic – 17 pontos

Primeiro final de semana do Warm Up reúne 40 barcos em Ilhabela

irc-9-6-014.jpg

Os velejadores estão começando a entrar no clima da Semana de Vela de Ilhabela. Isto por que neste sábado e domingo foram disputadas as primeiras regatas do Warm Up. No sábado o vento na casa dos 15 nós de leste permitiu que a CR utilizasse uma raia diferente para as classes HPE 25 e C30, com largada próxima a praia da Siriúba e boia no farol da ponta das canas. Ali foram disputadas três regatas, com boas disputas, anunciando o que virá por aí na maior competição da vela oceânica da América Latina. As demais classes fizeram um percurso longo, com 18 milhas, com boia entre a praia do Jabaquara e o baixio.

No domingo as classes mais ligeiras fizeram mais duas regatas barla-sota, enquanto as demais fizeram outro percurso longo com o vento de leste, para fora do canal.

Os resultados podem ser vistos abaixo:

RGS e Bico de Proa
IRC
ORC
C30
HPE25

Nota de Falecimento: Axel Schmidt

Faleceu neste domingo (10/6) o velejador tri-campeão mundial de Snipe Axel Schmidt. Tio de Lars e Torben Grael, Axel deixa esposa e filhos. Lars Grael prestou uma bonita homenagem ao tio nas redes sociais. Leia abaixo:

“Neste domingo perdemos o Tio, professor e comandante Axel Schmidt. Filho do dinamarquês Preben Schmidt, Axel e seu irmão gêmeo Erik, foram os primeiros campeões mundiais da Vela brasileira. Únicos a sagrarem-se Tri-Campeões Mundiais consecutivos da classe Snipe. Medalhistas de Ouro e Prata nos Jogos Pan-Americanos de 1959 e 1963 respectivamente na classe Lightning. Participaram dos Jogos Olimpicos do México 🇲🇽 1968 e Munique 🇩🇪 em 1972. Na Vela de Oceano foi timoneiro do veleiro “Pluft” na conquista da Regata Buenos Aires – Rio. Timoneou o Pluft ainda na tradicional Admiral’s Cup na Inglaterra. Com o seu veleiro “Osprey”, Axel conquistou a Regata Santos-Rio e o Circuito Rio de Vela de Oceano. Pai de Ingrid e Anders, Tio Axel foi abençoado por ter a melhor esposa que um marido pode ter, a inigualável Moema. Dedicou-se com o irmão a capacitar e formar os sobrinhos na Vela. Desta dedicação, vieram Torben e Lars Schmidt Grael. Foi Comodoro do centenário Rio Yacht Club (Sailing) em Niteroi. A Vela brasileira agradece ao campeão. Nós agradecemos ao mestre. Veleje em paz. Lars Grael”

Patoruzu é fita-azul da Regata Batalha Naval do Riachuelo

A 153ª edição da histórica Regata Batalha Naval do Riachuelo, promovida pela Capitania dos Portos de Pernambuco e o Cabanga Iate Clube de Pernambuco, chegou ao fim no último sábado (9) com destaque para a embarcação Patoruzu. O barco do comandante Higínio Marinsalta conquistou o Fita Azul ao encerrar a prova da classe Oceano com o tempo real de 1h41min30.

O Patoruzu também foi o grande vencedor da Mocra Regata, entre as embarcações de Oceano. No Mocra Cruzeiro, o primeiro lugar foi do Ciranda, comandado por Sérgio Avellar. Já no RGS A, o Morning Breeze, de Guilherme Araújo, terminou na liderança. E no RGS B, o Quarta-feira 17, de Eduardo da Fonte, ficou na primeira colocação.

No total, foram 98 participantes na Regata Batalha Naval do Riachuelo, realizada em dois finais de semana, com 37 embarcações de seis classes. Os velejadores de Optimist, Dingue, Day Sailer, Snipe, Oceano e Aberto foram premiados num evento na tarde do último sábado, no Cabanga Iate Clube de Pernambuco.

“Essa regata marca o congraçamento da comunidade marítima. Para nós da Marinha, relembra os que lutaram e perderam suas vidas em defesa do nosso País na Batalha Naval do Riachuelo”, relembrou o Capitão dos Portos de Pernambuco, Maurício Bravo.

Leonides Alves, diretor de Vela Oceano do Cabanga, representou o Comodoro Delmiro Gouveia no ato e enalteceu a competitividade da regatas. “Agradecemos a forma sempre parceira da Marinha para com o clube e a todos os velejadores que fizeram uma regata maravilhosa.”

Confira abaixo o resultado geral da competição:

Oceano

Fita Azul
Patoruzu – Comandante Higínio Marinsalta
Tempo: 1h41min30

Mocra Regata
1º Patoruzu – Higínio Marinsalta
2º Centauro – Álvaro da Fonte

Mocra Cruzeiro
1º Ciranda – Sérgio Avellar
2º Zen – Leonides Alves

RGS A
1º Morning Breeze – Guilherme Araújo
2º Avatar – Paulo Almeida Filho
3º Girosplint – Newlton Carvalho

RGS B
1º Quarta-feira 17 – Eduardo da Fonte
2º Toba – Oscar Barbosa
3º Avoador – Marcelo Souza

Aberta Monotipo
1º – Embarcação Frank – Erisson Luiz da Silva

Optimist
1º – Júlia Ollivier
2º – Julio Cesar Avellar
3º – Antônio da Fonte
4º – Guilherme Araújo
5º – Milena Araújo

Optmist – Feminino
1º – Júlia Ollivier

Optimist – Estreante
1º – Milena Araújo

Dingue
1° – Gudino – José Araújo e Edna Silva
2° – Aichach – René Hutzler e Marcelo Amorim
3° – Sopra Vento – José Maria e Jairo Vale

Day Sailer
1º – Odisseu – Antônio Antunes e Renato Soares
2º – Varamundo – Paulo Collier e Leonardo Mascarenhas
3º – Coraggio – Lucas Barbalho e Evaldo Almeida

Snipe
1º – Edival Júnior e Mateus Pinheiro
2º – Roberto Cardoso e Gustavo Guedes
3º – Ítalo Silva e Roberto Xavier​