Brasileiros levam ouro e prata no Europeu de Star

Terminou neste domingo em Flensburger, na Alemanha, o Europeu da classe Star. E mais uma vez o Brasil fez bonito, levando a medalha de ouro com Bruno Prada, que velejou na proa do americano Augie Diaz, e a medalha de prata com Lars Grael e Samuel Gonçalves.

Além de ser uma competição muito acirrada e que contou com cinco campeões mundiais na raia dentre as 71 duplas de 17 países, o clima deixou tudo ainda mais difícil. Na segunda noite de competição uma forte ventania causou um fenômeno climático que fez com que a água do ‘fiorde’ onde fica o clube recuasse, deixando muitos barcos atolados na lama. No sábado, penúltimo dia de regatas, o vento entrou com tanta força, com quase 40 nós, e a CR não cancelou a regata, causando quebras de mastro e deixando muitas velas destruídas.

“O título foi decidido numa disputa acirrada com a dupla Augie Diaz / Bruno Pradaaté a linha de chegada da última regata. Por bico de proa, eles passaram a dupla do atual campeão mundial Eivind Melleby e Guilherme Almeida cruzando em 5º. Nós viemos do outro lado e tivemos que dar água para ambos. Perdemos no critério de desempate. Faz parte e o Vice-título foi um ótimo resultado”, disse Lars.

Os resultados podem ser vistos aqui: http://bit.ly/2ARXJT5

No Mundial de Classes Olímpicas, Brasil garante três vagas para Tóquio 2020

Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino_Jesus Renedo_Sailing Energy.jpg

O Mundial de Classes Olímpicas chegou ao fim neste domingo, dia 12, em Aarhus, e a Equipe Brasileira de Vela agora começa a voltar o foco para os Jogos Olímpicos. Com o resultado da última semana na Dinamarca, o país já carimbou passaporte de três classes rumo a Tóquio 2020: Laser, 49er FX e Nacra 17. O próximo compromisso importante do ano é o primeiro evento-teste em Enoshima, no Japão, em setembro.

O desfecho do Mundial teve uma pontinha de frustração para o Brasil. Após garantirem a vaga olímpica do país na sexta-feira, Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino ainda tinham esperanças de pódio na Nacra 17. Mas a regata da medalha deste domingo foi cancelada por falta de vento. Assim, a dupla brasileira encerrou a participação em quinto lugar, com 81 pontos perdidos. O ouro foi para os italianos Ruggero Tita e Caterina Banti (69 p.p.).

Além da Nacra, o Brasil obteve classificação na 49er FX, com o quarto lugar de Martine Grael e Kahena Kunze; e na Laser, com João Pedro Souto de Oliveira em 19º lugar no Mundial. Continuar lendo “No Mundial de Classes Olímpicas, Brasil garante três vagas para Tóquio 2020”

Rumo a Tóquio 2020: Brasil já garante vaga olímpica em duas classes

João Pedro Souto de Oliveira_Crédito Jesus Renedo_Sailing Energy

Os ventos da Dinamarca impulsionaram nesta quinta-feira, dia 9, o Brasil na direção dos Jogos de Tóquio 2020. Na disputa do Mundial de Aarhus, o país garantiu hoje vaga olímpica nas classes Laser, graças ao 19º lugar de João Pedro Souto de Oliveira (131 pontos perdidos); e 49er FX, com Martine Grael e Kahena Kunze, que avançaram na sexta posição (97 p.p.) para a disputa da regata da medalha, neste sábado.

“Durante a semana inteira as regatas foram bem difíceis. Estamos felizes por ter cumprido nosso objetivo, que era classificar o país, e depois ainda ter chance de melhorar mais um pouquinho na medal race”, afirmou Martine Grael. Continuar lendo “Rumo a Tóquio 2020: Brasil já garante vaga olímpica em duas classes”

Brasileiros lideram Europeu de Star

O Europeu de Star, que começou nesta quinta-feira em Flensburger, na Alemanha, tem dobradinha brasileira na liderança. Bruno Prada, que corre na proa de Augie Diaz, é o líder, enquanto Lars Grael e Samuel Gonçalves aparecem em segundo.

O dia começou sem vento, com todas as tripulações esperando em terra por mais de 1h. Quando o vento entrou, veio fraco, muito rondado vindo de leste

“Parecia Brasília”, disse Samuel. “Foi muito difícil, cada hora dava uma situação diferente e sabemos que vencer um campeonato desse precisa de média”.

O nível do campeonato está muito alto, com seis campeões mundiais. Até o momento duas regatas foram disputadas e a previsão é que as 71 duplas ainda disputem mais duas por dia até sábado e apenas uma no domingo, último dia do campeonato.

Para acompanhar o evento, clique em: http://bit.ly/2ARXJT5

Tira Teima – Regra 69 no mundial de vela (por Ricardo ‘Blu’ Lobato)

Peça que foi alterada por Íker
Peça que foi alterada por íker

O espanhol Iker Martinez, medalha de ouro em 2004 e prata em 2008, foi considerado culpado em audiência de regra 69. Tudo começou durante a medição dos barcos no dia 2 de agosto, quando o medidor notou que o parafuso que ajusta a bolina (foil) do barco estava com uma amplitude maior que a dos outros barcos. Com uma amplitude de regulagem maior, seria possível alterar mais o ângulo do foil iniciando a planada mais cedo nos ventos fraco.

O difícil é que a regra do Nacra não tem medidas, simplesmente tudo tem que ser comprado do fabricante, assim como o Laser. O medidor teve que consultar o fabricante para descobrir que o máximo de deslocamento deste parafuso seria 75mm. Todos os barcos medidos estavam entre 74.5mm e 75mm, contudo o barco espanhol tinha 79,5mm no casco esquerdo. Este é o casco mais usado na largada e na montagem da marca de barlavento. Nota curiosa é que Iker recebeu vários foils de teste do fabricante no ano passado. O barco foi protestado e penalizado inicialmente com 35 pontos (depois a penalidade virou um DNE). Os espanhóis desistiram de correr o campeonato e retiraram o barco da marina, levando o barco para seu hotel.

O jury então iniciou um processo de regra 69 (má conduta). A regra 69 foi totalmente revista em 2017 e o procedimento ficou bem mais complexo. Primeiramente, foi nomeado um EDIO (Event Disciplinary Investigating Officer), que fica responsável pela investigação e atua como um procurador apresentando o caso ao jury. Isto foi uma exigência do CAS (Tribunal de Arbitragem Esportiva) que criticou a vela por não segregava o papel do juiz com o do investigador. Dentro deste procedimento complexo, Iker pediu mais tempo para chamar seus advogados e preparar a sua defesa e o julgamento foi realizado uma semana depois do incidente.

Na sua defesa, Iker afirmou que não alterou o barco, mas a evidências comprovaram ao contrário. Iker foi declarado culpado em mentir. Não foi possível penalizar mais o barco no campeonato, uma vez que eles desistiram do evento, antes do seu início. A World Sailing poderá suspender o atleta posteriormente. Aguardem as cenas dos próximos capitúlos.

DECISAO 69

Case 061

1. On August 8, 2018, the International Jury heard case 61 submitted by the EDIO of the Aarhus 2018 World Championships against Mr. Iker Martinez for misconduct.

Procedural Comments

2. The EDIO was Alastair Fox, appointed by World Sailing, who was advised by Jon Napier.

3. At the hearing, Mr. Iker Martinez was accompanied by Antonio Otero (representative) and Asier Fernandez (advisor).

4. At the beginning of the hearing and after it had been adjourned, Mr. Iker Martinez asserted on procedure that the International Jury:

I. Does not have jurisdiction over Mr. Iker Martinez because he was not entered in the event.

II. Has not given Mr. Iker Martinez opportunity to find a professional legal interpreter.

III. Has not given Mr. Iker Martinez enough time to prepare.

5. Concerning I: The International Jury was appointed for the event by World Sailing. The event is governed by the Racing Rules of Sailing (RRS). Mr. Iker Martinez tried to enter the event and initiated the process of entering the World Championships as a competitor and completed all required steps up to passing the equipment inspection. Thus he clearly intended to participate in the event and thereby agreed to accept the RRS, cf. RRS 3.1(a). The reason why he did not race was that his entry was rejected by the organizing authority, when his boat did not pass the equipment inspection on Sunday, August 5 before 14:30. Therefore, the International Jury has jurisdiction over this matter.

6. Concerning II: At the beginning of the hearing, Mr. Iker Martinez requested an interpreter.

Although it is not the responsibility of the International Jury to provide interpretation, and Mr. Iker Martinez had the opportunity to contact a local interpreter, the International Jury offered another jury member as interpreter. Mr. Iker Martinez did not object until after the hearing was reconvened, and continued to use the interpreter thereafter.

7. Concerning III: Reasons for not giving additional time to prepare:

1. The alleged misconduct occurred before the first race of the World Championship.

2. The first Notice of Charge dated August 5 was sent at 22:58.

3. During the hearing on August 6 starting at 12:00 Mr. Iker Martinez requested additional time to prepare and he was granted 48 hours.

4. Mr. Iker Martinez received the second Notice of Charge on 7 August at 16:08.

5. The hearing was reconvened on 8 August at 12:00.

6. At the request of Mr. Iker Martinez, the jury provided a Spanish‐speaking jury member as interpreter. He made no objection to the interpreter.

7. The items in the second Notice of Charge for which Mr. Iker Martinez requested more time to prepare are related to items already presented in the first Notice of Charge.

8. Mr. Iker Martinez had 61 hours from the time that the first charge was given until the hearing on August 8.

9. Mr. Iker Martinez argued that resolving this matter is not urgent.

10. World Sailing Misconduct Guidance advises that, “it is unfair and inappropriate to leave serious allegations of misconduct unheard for several days.”

The International Jury Concludes on this:

1. The items in the second Notice of Charge are related to items already presented in the first Notice of Charge and therefore would not require more time.

2. The 61 hours given to Mr. Iker Martinez is reasonable time to prepare for both charges for a hearing under RRS 69 during an event.

Facts

8. Mr. Iker Martinez is the owner and person in charge of ESP 70.

9. ESP 70 was bought by Mr. Iker Martinez new from Nacra Sailing at the beginning of 2018. It had not been used by any other crew and was only raced with him onboard.

10. Between 2 August and 5 August 2018 (inclusive), ESP 70 was inspected by the Technical Committee and the maximum distance that the daggerboard bearing could move (between the back of the bearing and the front of the worm drive) was measured.

11. The building specifications for this measure is 75mm. The Technical Committee measured 74.5mm to 75mm on all other inspected Nacras (in excess of 60) that are competing in the World Championship.

12. On ESP 70, this distance was measured to be 79.5mm on both hulls. In addition, the round holes for the fitting in the stainless steel tracks had been elongated. This could not have been caused by damage or normal wear.

13. Using a builder‐provided daggerboard bearing track, it was not possible to fit all six bolts into the holes in the hull. The back holes were further back compared to building specifications.

14. During manufacturing, all holes in the hull recess for the daggerboard bearing are drilled using a

unique jig. Only one jig set (one tool for producing port hulls and one for starboard hulls) exists at

the hull manufacturer in Thailand. The position of the holes on ESP 70 could not have been the result of using that jig to drill, or have been caused by damage or normal wear.

15. On August 6, 2018 ESP 70 was inspected further by the Technical Committee. This showed that in the aft side of the port side hull recess, the original holes that were in the position defined by the building specification had been filled, and new holes had been drilled further aft. Sikaflex had been applied over the holes concealing the modification.

16. The Nacra 17 is a one design class with closed class rules. This means that changes can only be made if they are specifically permitted by the class rules. Furthermore, repairs cannot be made without approval of the IN17CA Technical Committee or at an event by the event Technical Committee. ESP 70 had received no such approval.

17. On August 4 2018, Mr Iker Martinez was interviewed by the Event Disciplinary Investigating Officer (EDIO) in relation to an investigation about the modifications on ESP 70. At the start of the interview, the EDIO explained to Mr. Iker Martinez that he must tell the truth and he may be subject to disciplinary action if he stated anything false or he did not believe to be true.

18. During the interview Mr. Iker Martinez denied several times that he altered ESP 70. He was asked “Did you alter the boat, as the Jury found in the protest decision?” The answer was “No. I said that to the Jury”. Mr. Iker Martinez signed the interview record as a true and accurate record of what was said.

Conclusion

19. The international jury is comfortably satisfied, bearing in mind the seriousness of the alleged

misconduct, that Mr. Iker Martinez deliberately modified ESP 70 in breach of the class rules and he

concealed the modification. Thereby, Mr. Iker Martinez committed a breach of good sportsmanship

contrary to RRS 69.1(a).

20. The international jury is comfortably satisfied, bearing in mind the seriousness of the alleged

misconduct, that Mr. Iker Martinez did not tell the truth to the EDIO. Thereby, Mr. Iker Martinez

committed a breach of good sportsmanship and unethical behaviour contrary to RRS 69.1(a).

21. The international jury is comfortably satisfied, bearing in mind the seriousness of the alleged

misconduct, that Mr. Iker Martinez did not tell the truth to the International Jury during this hearing.

Thereby, Mr. Iker Martinez committed a breach of good sportsmanship and unethical behaviour

contrary to RRS 69.1(a).

Decision

22. Considering the level of the misconduct, a significant penalty is appropriate. However, given the

severely limited range of penalties available to the jury in this case, the International Jury has

decided the following:

23. The International Jury excludes Mr. Iker Martinez from the venue of the event from Thursday,

August 9 at noon, and directs the organizing authority to revoke his accreditation from that point in

time. Since Mr. Iker Martinez’s entry was rejected by the organizing authority before he sailed any

races in the event, the International Jury cannot impose scoring penalties.

24. This decision will be reported to World Sailing under RRS 69.2(j)(2) and WS Regulation 35.4.7.

August 9, 2018, 00:20

International Jury

Lynne Beal (chair) IJ (CAN), Manuel Ken Gamito IJ (POR), Yoann Peronneau IJ (FRA), Jan Stage IJ (DEN)

and Leo Pieter Stoel IJ (NED

Europeu de Star começa nesta quinta com brasileiros na disputa

Com 71 duplas de 15 países, começa nesta quinta-feira em Flensburg, na Alemanha, o Campeonato Europeu de Star. Lars Grael e Samuel Gonçalves são a única dupla 100% brasileira. Bruno Prada e Guilherme Almeida reforçam a proa de Augie Diaz e Eivind Melleby respectivamente. Estão programadas duas regatas por dia até sábado e apenas uma no domingo, último dia de competição. É possível acompanhar os resultados em: http://bit.ly/2ARXJT5

 

Organização divulga o AR da Taça Leopoldo Geyer

Nos dias 1 e 2 de setembro o ICRJ vai promover a 4ª edição da Taça Leopoldo Geyer para veleiros clássicos das classes RGS e APS. São elegíveis as seguintes categorias:

Época: Todos barcos lançados antes de 31/12/1949
Clássicos: Todos os barcos lançados entre 01/01/1950 e 31/12/1980
Spirit Of Tradition: Todos barcos com aspecto e estilo fiel aos projetos tradicionais dos barcos Clássicos ou de Época, construídos com materiais modernos, e com projetos avançados nas obras vivas (abaixo da linha d’água).

As inscrições devem ser feitas na secretaria do clube. A largada da regata Rio – Ilha de Palmas está prevista para às 12h do sábado, enquanto a regata com percurso inverso está prevista para às 11h do domingo.

Confira o AR

Organização divulga o AR da Copa Suzuki

Nos dias 25 e 26 de agosto, 1 e 2 de setembro o Yacht Club de Ilhabela vai sediar a terceira etapa da Copa Suzuki. O evento é válido também como segunda etapa do Paulista de Oceano. Estão convidadas as classes IRC, C30, HPE-25, BRA-RGS, Clássicos e Bico de Proa. As inscrições devem ser feitas direto na secretaria do clube, ao custo de R$ 100,00 por tripulante, exceto tripulante mirim, que é isento de taxas.

Estão programadas até duas regatas de percurso para as classes IRC, BRA-RGS e Bico de Proa. Nos demais dias e para as demais classes, serão disputadas regatas barla-sota.

Confira o AR

Bruno Fontes cresce na reta final, se aproxima de vaga olímpica

unnamed (28).jpg

Mostrando toda sua capacidade de superar momentos adversos e crescer na fase decisiva, o velejador Bruno Fontes contou com a experiência e a técnica apurada no primeiro dia de fase final do Mundial de Classes Olímpicas, realizado nesta terça-feira (07), na Baía de Aarhus. Com ventos fracos, o catarinense somou dois resultados intermediários e saltou da 19ª para a 13ª posição na classificação geral se aproximando ainda mais de uma das dez vagas para a Medal Race. A regata da medalha, que define o campeão do evento nesta sexta, reúne os dez melhores classificados, que serão definidos após as duas disputas programadas para essa quarta-feira (08).

Além de subir diversas posições, Bruno ficou ainda mais próximo de classificar o Brasil para os Jogos Olímpicos de Tóquio. A competição na Dinamarca destina 14 vagas para a Olimpíada de 2020 e Bruno coloca o país no nono lugar no ranking de nações. “Um dia de cada vez. Essa tem sido a minha trajetória aqui e tem dado certo até o momento. Estou concentrado em fazer o melhor e buscar superar um desafio de cada vez. Com o início da fase final a tendência se confirmou e o nível técnico aumentou ainda mais. Consegui velejar bem, tive pequenos erros, mas consegui corrigi-los. Foco agora é buscar uma das dez vagas na Medal Race e confirmar a vaga do Brasil para Tóquio”, avalia Bruno. Continuar lendo “Bruno Fontes cresce na reta final, se aproxima de vaga olímpica”

Primeira Copa União de Dingue reúne oito duplas em Pernambuco

201808061108290

O Dingue Pernambuco realizou, neste domingo, a primeira edição da Copa da União. Esse evento foi concebido de maneira a proporcionar uma maior integração entre os atletas da flotilha, uma vez que os timoneiros mais experientes (Luciana Raposo, René Hutzler, Hans Hutzler, Leonardo Almeida, André Verona, Clovis Holanda e José Araújo) fizeram as vezes de proeiros tanto para velejadores mais novos quanto para aqueles que tinham algumas dúvidas a serem esclarecidas.

Das oito tripulações, sete seguiram tal formato – a participação de duplas não-misturadas também era permitida. Foram realizadas duas regatas, que foram vencidas com facilidade pelo Ver o Mar, timoneado por Roberto Xavier e tendo Hans Hutzler como proeiro. Em segundo ficou o Energia de Alexandre Mercanti / Leonardo Almeida, que protagonizou diversas ultrapassagens mútuas com o Gudino, liderado por Rodrigo Samico e José Araújo, que acabaram na 4ª posição. Em terceiro ficou o Intrépido de Francisco Andrade e Luciana Raposo, que alcançou uma notável recuperação da primeira para a segunda regata do dia. Fechando o pódio, Antonello Cruz e Luca Cruz mostraram habilidade em sua primeira regata na classe Dingue.

RESULTADOS:

1° – Ver o Mar – Roberto Xavier e Hans Hutzler (1o / 1o) 2pts
2° – Energia – Alexandre Mercanti e Leonardo Almeida (2o / 3o) 5pts
3° – Major Tom – Francisco Andrade e Luciana Raposo (4o / 2o) 6pts
4° – Gudino – Rodrigo Samico e José Araújo (3o / 4o) 7pts
5° – Cascudinho – Antonello Cruz e Luca Cruz (6o / 5o) 11pts
6° – Pegasus – Hellayne Santiago e René Hutzler (5o / 7o) 12pts
7° – Gaivota – Vinícius Siqueira e André Verona (7o / 6o) 13 pts
8° – Viagra – Gabriel Pinho e Clóvis Holanda (8o / 8o) 16 pts

Da classe