Lombardi/Geronimi são campeões brasileiros de 420

A dupla Leonardo Lombardi e Pietro Geronimi , do Rio de Janeiro, foi a vencedora e na categoria feminina as campeãs foram Marina da Fonte e Marina Arndt,  Pernambuco/Bahia. Ao cruzar a linha de chegada da décima regata, Lombardi e Geronimi foram cautelosos e esperaram confirmar a pontuação para comemorar em terra. Na busca pelo título eles vinham nos últimos dias de uma disputa com Bernardo Peixoto e Marcos Arndt, da Bahia, dupla que cresceu bastante na fase final do campeonato e terminou em vice.

“Os primeiros dias foram os mais difíceis em razão do vento fraco e ainda estávamos aquecendo. Depois começamos a velejar mais consistente, o vento aumentou de intensidade e colocamos mais gás nas regatas. E hoje tudo foi perfeito”, disse o timoneiro Lombardi que também é presidente da Associação Brasileira da classe 420.

“Nós começamos a velejar há pouco tempo juntos, visando esse campeonato, mas temos alguns anos de experiência na classe 420. Em 2016 competi no Brasileiro no Veleiros do Sul”, comentou Geronimi.

Continuar lendo “Lombardi/Geronimi são campeões brasileiros de 420”

Tira-teima: quando uma regata deve ser anulada? (Por Ricardo Lobato)

Quando uma regata deve ser anulada? Entenda as Regras de Condução de Regata da Classe e.

Muitas dúvidas rondam os critérios para abandonar uma regata. Estas dúvidas têm fundamento. Observe o que diz a regra 32, sobre as razões para a Comissão de Regata anular uma regata. http://www.regras.com.br/site/images/Docs/RRV2017_2020.pdf

32 ENCURTANDO OU ANULANDO APÓS A LARGADA

32.1 Após o sinal de largada, a comissão de regata pode encurtar o percurso (bandeira S com dois sinais sonoros) ou anular a regata (bandeira N ou N sobre H ou N sobre A, com três sinais sonoros),

(a) por mau tempo,
(b) por insuficiência de vento que torne improvável a chegada de qualquer barco no limite de tempo estabelecido,
(c) por uma marca ter desgarrado ou desaparecido, ou
(d) por qualquer outra razão que afete diretamente a segurança ou justiça da competição.

O Primeiro problema é que a comissão pode anular a regata por uma ou mais das razões listadas acima. Portanto, como o termo “pode” é permissivo e não mandatório, se a CR anular ou não a regata, ela não estaria cometendo um erro passível de reparação. A regra não a obriga a anular uma regata. O segundo problema está no item (d). Afinal o que significa “qualquer outra razão” que afete a justiça da competição? Uma grande rondada de vento no primeiro contravento de uma regata de um campeonato nacional pode ser motivo para se anular uma regata, enquanto numa regata oceânica é aceitável ficar sem vento por diversas horas. A regra é vaga propositalmente, pois deve atender a todos os tipos de regatas do nosso esporte.

Continuar lendo “Tira-teima: quando uma regata deve ser anulada? (Por Ricardo Lobato)”

João Pedro de Oliveira é campeão brasileiro de Laser

Terminou no último final de semana em Niterói o Campeonato Brasileiro de Laser. Após nove regatas o carioca João Pedro de Oliveira levou a medalha de ouro para casa seguido por Phillip Grotchmann em segundo e Gustavo Nascimento em terceiro.

Na 4.7 o título ficou com Felipe Fraquelli, enquanto na Radial a vencedora foi Marie Bolou, que levou também o título feminino.

Resultados podem servistos aqui.

Brasileiro de Snipe começa na Guarapiranga

Está rolando na Guarapiranga o Campeonato Brasileiro de Snipe. Com 82 barcos inscritos a competição conta com grandes nomes da vela nacional, como Alexandre Paradeda e Bruno Bethlem.

Duas regatas foram disputadas até o momento, em dois dias, sendo que uma terceira (a primeira de terça feira) acabou sendo anulada após protesto.

Breno Bianchi e Flávio Castro lideram após revisão dos resultados. O evento segue até sábado no Yacht Club Paulista.

Os resultados podem ser vistos aqui.

Em Ilhabela, clínicas de Optimist agitam o verão na BL3

O mês de Janeiro é sempre muito agitado na BL3. Todos os anos, a Escola de Iatismo promove as tradicionais clínicas de vela, um super programa diferente para as férias dos pequenos. Sempre é um sucesso, formando muitos velejadores, semanas intensas de aprendizado, diversão, novas amizades e muita história para contar. As clínicas são voltadas para crianças a partir de 7 anos, com aulas de vela do nível básico e intermediário (open bic, optimist, dingue, windusrf e laser). 

A BL3 orgulha-se de ser uma porta de entrada para o mundo da vela, apresentando uma aventura emocionante que pode ser levada por toda a vida!

Se interessou? Para a última semana (21 a 25 de janeiro) ainda é possível se inscrever! Informações: (12) 3896-1271, (12) 3896-5885 ou armacao@bl3.com.br

Brasileiro de Op termina com 15 classificados para o Sul-Americano

Chegou ao fim em Ilhabela o 47º Campeonato Brasileiro da classe Optimist. Com a Escola de Vela Lars Grael como sede, o evento teve recorde de participantes, 220 no total, entre os estreantes e os veteranos, de nove estados e do Chile. Gustavo Glimm, do Veleiros do Sul, e Gabriela Vassel, da flotilha Borrachudo, de Ilhabela, garantiram o título geral e feminino respectivamente por antecipação e nem precisariam velejar, mas ainda assim foram para a água. Nesta terça-feira apenas uma regata estava programada, mas o vento não ajudou.

A primeira largada do dia foi dada com o vento soprando de sul, com a raia montada dentro do canal de São Sebastião. Pouco tempo depois o vento rondou de direção e a CR se viu obrigada a cancelar tudo ir para a ponta das Canas, onde sopra o vento leste. As duas flotilhas – ouro e prata – conseguiram, então, completar a prova, encerrando o evento com as 12 regatas previstas.

Continuar lendo “Brasileiro de Op termina com 15 classificados para o Sul-Americano”

Em Ilhabela, Vassel e Glimm são campeões brasileiros de Optimist por antecipação

O 47º Campeonato Brasileiro de Optimist só termina nesta terça-feira em Ilhabela, mas os primeiros campeões já foram definidos. Gustavo Glimm, do Veleiros do Sul, venceu a última regata do dia, garantindo o primeiro lugar geral por antecipação. Entre as meninas, Gabriela Vassel, da flotilha Borrachudo, de Ilhabela, abriu 81 pontos da segunda colocada e também levou para casa a medalha de ouro. Ela terminou o dia na quarta colocação geral. A segunda-feira foi mais um dia de sol forte e vento médio na Capital da Vela. As flotilhas ouro e prata fizeram duas regatas na raia montada próxima à Ponta das Canas, no vento leste. Com 11 regatas completadas, a CR deverá fazer apenas uma nesta terça-feira, antes da festa de premiação, marcada para às 19h no Esporte Clube Ilhabela, no Centro Histórico (Vila).

“Foi um campeonato muito legal, bastante disputado, e ficou mais difícil quando a flotilha foi dividida em ouro e prata, mas o que importa é se divertir. Estive em Ilhabela para o Paulista, em dezembro, e pude aprender um pouco sobre a raia”, disse Gustavo Glimm.

“Estou muito feliz! Era minha meta ganhar o feminino e agora vou continuar treinando muito, pois tenho ainda mais um campeonato brasileiro antes de sair do Optimist”, disse Gabriela Vassel. Paulista, ela se mudou para Ilhabela há dois meses, quando passou a treinar de segunda a sexta na Escola de Vela Lars Grael, sob o comando do técnico Alexandre Paradeda.

Continuar lendo “Em Ilhabela, Vassel e Glimm são campeões brasileiros de Optimist por antecipação”

Brasileiro de OP recomeça em Ilhabela com liderança de Vassel e Glimm

Depois de um merecido dia de descanso, as atividades na Escola de Vela Lars Grael, em Ilhabela, onde está sendo disputado o 47º Campeonato Brasileiro de Optimist, voltaram a todo vapor. Com o fim da Copa Brasil de Estreantes, apenas os velejadores veteranos seguem velejando e disputaram, neste domingo, três regatas em raia montada próximo à Ponta das Canas, no norte do Canal de São Sebastião, onde sopra o vento leste. Como o campeonato já chegou na metade, eles foram divididos em flotilha ouro (os melhores colocados) e prata.

Gustavo Glimm, do Veleiros do Sul, segue na liderança da competição com 30 pontos perdidos, 16 a menos que Theo Chao, do YCSA, segundo colocado, com 46. Gabriela Vassel, da flotilha Borrachudo de Ilhabela é a melhor colocada entre as meninas, em 7º geral.

Dentre os 134 velejadores veteranos quatro merecem destaque por terem vindo de longe. A flotilha do Chile, representando clube de Algarrobo, na região de Valparaíso, trouxe quatro atletas e tem dois entre o top 15 da flotilha ouro.

Continuar lendo “Brasileiro de OP recomeça em Ilhabela com liderança de Vassel e Glimm”

Erik Scheidt vence a Copa Brasil de Estreantes; RJ1 vence Brasileiro por Equipes

O dia começou cedo no 47° Campeonato Brasileiro de Optmist, que está sendo disputado em Ilhabela. Os velejadores veteranos disputaram o Campeonato Brasileiro por equipes, evento que teve 16 times de Sã Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Pernambuco, Bahia, DF e do Chile. A regatas começaram às 9h30 da manhã em frente à praia do Perequê. A competição tem um formato eliminatório, com uma equipe correndo contra a outra em seis etapas mais a final, que é melhor de três.

Os times do Rio Grande do Sul 1 e Rio de Janeiro 1 fizeram uma final eletrizante, com disputas acirradas e muita marcação. A primeira regata foi vencida pelos cariocas e a segunda pelos gaúchos, deixando a decisão para a terceira prova. No final o título ficou com o time do Rio de Janeiro, formado por Bernardo Martins, Diogo Petersen, Pedro Muricy e Joana Gonçalves.

Continuar lendo “Erik Scheidt vence a Copa Brasil de Estreantes; RJ1 vence Brasileiro por Equipes”